Vidro laminado com SentryGlas ®

Por muitos anos, os intercalantes produzidos à partir do polivinil butiral (PVB) e do etileno-vinil-acetato (EVA) têm sido o material de segurança padrão usado pela indústria na produção de vidro laminado. Quem trabalha com vidro entende bem as possibilidades e limitações desse tipo vidro quando empregados em fachadas, coberturas, guarda-corpos e esquadrias. O intercalante SentryGlas, por outro lado, possibilita uma abordagem completamente nova e de maior resistência, pois é 100 vezes mais rígido e cinco vezes mais resistente que o PVB.

For many years, interlayers produced from polyvinyl butyral (PVB) and ethylene vinyl acetate (EVA) have been the standard safety material used by the industry in the production of laminated glass. Everyone who works with glass understands the possibilities and limitations of this glass when used in facades, roofs, railings and window frames. The SentryGlas interlayer on the other hand, provides an entirely new approach and greater resistance, because it is 100 times harder and five times stronger than PVB.

Vidro laminado com SentryGlas

Quando usar o SentryGlas?

O SentryGlas deve ser usado quando há uma demanda por uma material mais rígido e mais forte, um exemplo de uso é em estádios esportivos onde em caso de tumulto o vidro (mesmo em caso de quebra) deve resistir à pressão que a multidão fará nele, sem sair do lugar para garantir a segurança de todos os espectadores.

A solução também pode ser utilizada em janelas, portas e clarabóias resistes à furacão e bombas, e passarelas e pontes de vidro como essa daqui que falei em um outro post.

vidro laminado com sentryglas

Sentryglas safety is used when there is a demand for an extra strong material, an example of use is in stadiums where in case of turmoil the glass must resist the pressure that the crowd will make on it without moving (even in case of breakage), to ensure the safety of all viewers.

This solution can be used in many laminated glass applications including hurricane and bomb blast resistant windows, doors and skylights and structural glass flooring, stairs, walkways and pedestrian bridges.

vidro laminado com sentryglass

Qual a diferença entre a laminação comum e com Sentryglas?

O vídeo abaixo mostra bem a diferença entre os dois tipos de laminação, como os dois tipos se comportam durante a quebra.

The video below shows the difference between the two types of lamination, and how the two types behave during breakage.

Uma observação importante é que o vidro laminado só perde a estabilidade se os dois vidros que envolvem o intercalaste quebrarem, o que é bem difícil de acontecer em condições normais, por isso o Sentryglas tem aplicação específica para situações onde a ruptura dos dois vidros pode acontecer.

An important observation to make is that regular laminated glass only loses stability if the two glasses that surround the interlayer break, it is very difficult to occur under normal conditions, so the Sentryglas has specific application for situations where the breakage of the two glasses may happen.

Apple Store, fachada em vidro e design.

A Apple sempre nos surpreende com designs limpos e funcionais, criando objetos de desejo que revolucionaram o mercado faz algum tempo. E com o design das lojas isso não poderia ser diferente, a cultura da empresa é replicada em cada nova Apple Store aberta ao redor do mundo.

Apple always surprises us with clean and functional designs, creating objects of desire that revolutionized the market for some time now. And when it comes to the stores design, that could not be different, the company culture is replicated in each new Apple Store opened around the world.

fachada em vidro
Loja em Hangzhou, China, por Foster + Partners

O que pouca gente sabe, é que a Apple também adora utilizar vidro nas suas lojas, por todas as vantagens sustentáveis que já descrevi aqui e por permitir um design arrojado, atual e com grande resistência.

What few people know is that Apple also loves to use glass in all of their stores, for all the sustainable advantages that I have described here and for allowing a bold and current design, with great resistance.

Os arquitetos da Foster + Partners conceberam uma loja espetacular em Hangzhou, na China, com uma fachada em vidro belíssima. Na minha opinião uma das mais bonitas da empresa.

Foster + Partners Architects designed a spectacular store in Hangzhou, China, with a beautiful facade in glass. In my opinion one of the most beautiful of the company.

fachada em vidro

A fachada com vidros inteiros de 15 metros de altura (não temos essa dimensão no Brasil), e estrutura de fixação também em vidro permite uma visão completa do interior da loja. As peças de vidro, perpendiculares à fachada, fazem o travamento das folhas de vidro que compõem o paredão de vidro.

The facade with whole glass of 15 meters high, and mounting structure also in glass, allows a full view of the interior of the store. The glass pieces, perpendicular to the facade, hold in place the glass sheets that compose the glass wall.

Em dias mais ensolarados, há um sistema de persianas móveis que descem do teto, trazendo sombra e evitando o ofuscamento das telas dos aparelhos no interior da loja.

On sunny days , there is a mobile blinds system that comes down from the ceiling, bringing shade and avoiding the glare of devices screens inside the store.

fachada em vidro

Um outro destaque são as duas escadas que dão acesso ao mezanino, uma de cada lado, toda em vidro e com os degraus fixados por parafusos embutidos (na parede e no degrau).

Another highlight in this project are the two staircases that give access to the mezzanine, one on each side, made in glass that seems to float as the steps are hold in place by embedded bolts.

Fachada em vidro escada em vidro

A escada parece flutuar, dada a leveza e o menor uso possível de ferragens.

The staircase seems to float, given the lightness and the lowest possible use of hardware.

escada em vidro fachada em vidro

O guarda corpo da escada também foi feito com uma única peça de vidro (não tem divisões), e é fixado no piso nas extremidades e fixado nos degraus. Eu fico boba com o tamanho dos vidros que a China produz, pra vocês terem uma idéia a maior chapa de vidro que é produzida no Brasil tem 6 metros na sua maior largura.

The staircase railings are also made with a single piece of glass (no divisions), and it is supported by the floor at the ends and on each step. I get amazed by the size of the glass pieces that China produces. So you can understand, glass pieces that are produced in Brazil are 6 meters at its widest end.

fachada em vidro escada em vidro

Aliás as escadas de vidro das lojas são um espetáculo por si só, a Apple desenvolveu um sistema exclusivo para que as escadas tenham o mínimo de ferragens possíveis, destacando o vidro e a leveza dos projetos.

In fact the glass staircases at Apple Stores are a sight in itself, Apple has developed a unique system so the staircases have the least possible hardware, emphasizing the glass and the lightness of the projects.

escada em vidro

O guarda corpo do mezanino, foi embutido no acabamento lateral da laje, e por não ter interferências ele amplia o ambiente.

The railing system ate the mezzanine, was built into the side of the slab, and having no interference it magnifies the environment.

fachada em vidro

 

Adoro projetos assim, que parecem simples mas que têm muita tecnologia envolvida. E vocês?

Se quiser saber sobre as normas para fachadas em vidro acesse aqui!

I love projects like this, which seem simple but have a lot of technology involved. And how about you?

If you want to know more about glass facades click here !

Passarela de vidro nos 90 anos da Fendi

Na última quinta feira (07/07/2016) a marca italiana Fendi, utilizou uma famosa fonte em Roma para realizar o desfile de 90 anos da marca! Calma, eu não estou aqui para falar de moda. Acontece que esse desfile que reuniu a atenção de todos os antenados em moda utilizou uma passarela de vidro para que as modelos desfilassem por cima das águas da Fontana di Trevi.

passarela de vidro fendi 90 anos
(Photo by Victor Boyko)

A Fendi ajudou a financiar a restauração do monumento  e aproveitou para fazer esse desfile histórico no local, usando o tema ‘Lendas e contos de fadas’.

passarela de vidro 90 anos Fendi

A passarela de vidro…

A passarela de vidro foi montada dentro da fonte e sem alterar a estética do monumento permitiu que as modelos flutuassem por cima da água criando um incrível efeito.

passarela de vidro 90 anos Fendipassarela de vidro 90 anos Fendi

Para a estrutura ter o mínimo de interferência possível, tanto o piso quanto a estrutura eram de vidro.

passarela de vidro 90 anos Fendi

E o ressudado ficou realmente encantador.

passarela de vidro 90 anos Fendi
(Photo by Victor Boyko)

Os pilares de vidro foram distribuídos em todos os encontros das peças do piso, garantindo assim uma melhor segurança quando todas as modelos entram juntas na passarela.

passarela de vidro 90 anos Fendi

O vidro utilizado foi o extra clear, temperado e laminado para garantir maior transparência sem o tom esverdeado do vidro incolor.

passarela de vidro 90 anos Fendi

O efeito ficou fantástico, mesmo o piso tendo muitas divisões e um grande número de pilares, a passarela de vidro ficou leve e discreta deixando toda a atenção para o desfile e a Fontana!

passarela de vidro 90 anos Fendi

Abaixo podemos ver mais de perto os detalhes da passarela de vidro, os pilares e vigotas todos se fundem com a água da fonte.

passarela de vidro 90 anos Fendi

As grandes marcas da moda, têm buscado cada vez mais fugir do tradicional e esperado. Lembra da Maison da Chanel que eu falei nesse post? Estou gostando de ver como o vidro vem sendo cada vez mais utilizado fora do que consideramos comum!

Tijolos de vidro, muito mais do que uma loja Chanel

Você precisa ver a “Maison de cristal” da Chanel, em Amstrdã! Eu só posso dizer que o Studio MVRDV se superou com esse projeto, talvez porque eu goste de projetos em vidro mas principalmente porque eles levaram os tijolos de vidro a um outro nível!

Crystal House

A Crystal House que abriga a loja Chanel, tem os dois primeiros pavimentos inteiramente transparentes, e o efeito foi alcançado por tijolos de vidro – feitos com tecnologia pioneira, exclusivamente para o projeto – molduras das janelas em vidro e vigas em vidro, porém a arquitetura manteve íntegro o caráter histórico da rua comercial de Amsterdã, a PC Hooststraat, replicando as fachadas existentes do século XIX.

Tijolos de vidro

A partir do final do segundo pavimento, os tijolos de vidro se misturam com os tijolos tradicionais de cerâmica, a impressão é que os tijolos terracota flutuam na fachada.

Tijolos de vidro

Acredito que esse seja um grande e valioso avanço no uso de vidro para a construção como elemento estrutural, um grande passo para o vidro na arquitetura, um sistema pioneiro e sustentável!!

Tijolos de vidro

O vidro é um material 100% reciclável, e por isso todos os componentes de vidro que foram usados para testes voltaram a ser derretidos e moldados e estão compondo a fachada. E a mesma lógica pode ser aplicada na fachada inteira, quando o edifício chegar ao fim da sua vida útil, todos os elementos de vidro podem ser reciclados e reutilizados em outra obra.

Tijolos de vidro

A fachada de vidro além de impressionantemente elegante e única precisa ser forte e segura. Por ser a primeira obra deste tipo, uma extensiva pesquisa foi feita nos laboratórios da Delf University e supervisionada pelo professor Rob Nijsse, além disso vários teste foram feitos exaustivamente para garantir o desempenho físico e estrutural do projeto.

Tijolos de vidroTijolos de vidro

Os tijolos foram moldados e lapidados um a um pela indústria de vidros Poesia, eles foram testados exaustivamente até resultarem nas peças finais aplicadas na construção.

Tijolos de vidro

Outro ponto importante estudado foi a estabilidade da solução em relação à colagem das peças – vidro é colado com um produto especificamente desenvolvido para o projeto e isso foi testado como um todo.

Tijolos de vidro

Depois de muitos testes, uma cola transparente de alta fixação foi desenvolvida pela indústria alemã Delo Industrial Adhesives, muito similar a cola UV que utilizamos em colagens aqui no Brasil, onde a cura é feita com uma lâmpada UV, porém as características são diferentes e específicas para a a estrura. Tijolos de vidro

Entre 6 e 10 especialistas trabalharam durante um ano na concepção e desenvolvimento dos elementos de vidro da fachada, o processo envolveu lasers de alta tecnologia, grandes lâmpadas UV e leite – a baixa transparência do líquido foi de grande ajuda no nivelamento dos primeiros tijolos da base. Devido à delicadeza do material foi necessário um elevado nível de precisão e habilidade e a equipe de desenvolvimento técnico esteve no local durante todo o processo de construção.

Tijolos de vidro

A fachada foi tão bem pensada, que inclusive em caso de necessidade há um protocolo existente para a troca individual de tijolos que por acaso tenham sido danificados.

Resistência

Apesar da aparência frágil, os ensaios e testes de esforço foram realizados pelos pesquisadores da Delf University, mostraram que os tijolos de vidro têm em diversos aspectos mais resistência do que o concreto! Um exemplo é a viga de sustentação toda em vidro, que suporta uma força de até 42.000 Newtons, o que equivale a algo em torno de 4.300kg.

Tijolos de vidro

Além disso a parede de tijolos de vidro se mostrou 10 vezes mais resistente que uma parede de tijolos cerâmicos, segundo os estudos essa fachada pode suportar “sem grandes danos um ataque com golpes de marreta ou mesmo uma manada de elefantes”.

Resumindo!

O vídeo à seguir mostra o processo construtivo da Crystal House, ele só tem 3 minutos de duração (feito em time-lapse) e mostra desde a moldagem e lapidação das peças de vidro até a finalização da fachada! Vale a pena ver!

Vídeo por Robert Jan Westdijk 

O Studio MVRDV realizou esse projeto com a colaboração de pesquisadores da Delf University of Technology, a empresa de engenharia com especialidade em vidros ABT e a construtora Wessels Zeist, os três Holandeses. Já a fabricação dos tijolos foi feita por uma indústria de vidros italiana chamada Poesia.

Tijolos de vidro

Esse projeto trouxe um avanço espetacular para construções em vidro e isso me deixa muito animada! Estou curiosíssima para saber sobre dados de transmissão de luz e temperatura. Afinal essa solução já superou tantas expectativas…

Tipos de vidro laminado

Algo que nos deixa em dúvida sobre vidro na hora de escolher um laminado são os tipos de vidro laminado. Qual é melhor? Quais as vantagens e desvantagens? Quais atendem às normas?

Vou explicar sobre os tipos de laminados, dizendo as diferenças entre eles e as vantagens e desvantagens de cada um. (Se você está lendo esse post e não sabe o que é vidro laminado, acessa esse post aqui primeiro)

Resumindo: o vidro laminado é composto por duas ou mais lâminas de vidro, onde o intercalante (que une as lâminas de vidro) é formado por o polivinil butiral (PVB), resina, ou EVA e aglutina os estilhaços quando o vidro é quebrado, impedindo a fragmentação.

Ele também melhora o desempenho acústico do vão e barra mais de 90% dos raios UV.

Tipos de vidro laminado…

Vidro laminado com EVA:

É um processo relativamente novo (no Brasil desde 2003), mas que vem conquistando espaço no mercado por sua facilidade de aplicação. Ele permite para os processadores do vidro menos perda de material no processo e menor consumo de energia, o que acaba refletindo no preço final da peça, já que você pode fazer uma otimização de peças.

O maquinário para esse tipo de laminação também tem menor custo do que o tradicional maquinário de PVB (de 3 a 10 vezes mais barato), além de ocupar um menor espaço físico para o processo (20m² contra 200m²). Por isso muitos processadores estão preferindo esse tipo de laminação.

O EVA (etileno-vinil-acetato) é visualmente como o PVB (incolor e translúcido), e os dois possuem a mesma espessura (0,38mm) e  podendo ser colorido.

tipos de vidro laminado

Vantagem: Não produz sobras de vidro e gasta muito menos energia. Ótima aceitação também no mercado de decoração por permitir laminar pequenas peças com custo competitivo e inserir tecidos, papéis, fotos, ou folhas por exemplo. (Inclusive o vidro curvo)

Desvantagem: A quantidade de produção é inferior à produzida em PVB (que faz 2000m² por dia enquanto o EVA produz até 500m² por dia).

Como é feita a laminação:

  1. Se o Vidro precisar ser temperado, isso deve ser feito antes da laminação (no vídeo abaixo eles mostram o vidro entrando e saindo da têmpera);
  2. O primeiro vidro é colocado em uma mesa, onde o filme de EVA é colocado por cima dele e em seguida o segundo vidro é colocado por cima do EVA;
  3. O filme de EVA é cortado rente às bordas dos vidros;
  4. A composição é colocada em uma das gavetas do forno de EVA e em seguida ela é fechada com uma manta de silicone próprio que gera vácuo nas peças;
  5. Em seguida a gaveta é colocada dentro do forno;
  6. O processo dura três horas e chega à temperatura máxima de 120 graus centígrados;
  7. O vidro é retirado do forno e está pronto.

Curiosidade: A laminação EVA também é utilizada em vidros eletronicamente opacados.

Certificação: Yveraldo Gusmão, diretor da Gusmão Representações, pioneiro na introdução desse equipamento no País, solicitou uma certificação de impacto, luz e umidade no Instituto Falcão Bauer da Qualidade (IFBQ). Agora o laminado com EVA está certificado na Europa, nos Estados Unidos e no Brasil quanto à sua segurança e qualidade.

Fabricantes: Um dos fornecedores de EVA do Brasil é a Bridgestone, marca japonesa que agregou bastante confiança ao produto, e há diversos fornecedores chineses também de alta qualidade.

Vidro laminado com Resina:

A laminação com resina é o processo mais antigo no mercado e de aplicação simples no vidro. A simplicidade de execução dispensa grandes e custosos maquinários, e o principio é o mesmo onde um produto é aplicado entre duas chapas de vidro e tem o papel de reter os cacos em caso de quebra.

A resina assim como o EVA permite a otimização dos vidros, evitando o desperdício de material. O processo necessita somente de 70 m² e não exige gastos adicionais de energia elétrica, o que faz da resina o processo mais econômico.

Há dois tipos de resina no mercado atualmente, as de base acrílica que têm sua cura em uma mesa com lâmpadas de UV e as de base de poliéster que são curadas em uma mesa de descanso com temperatura média de 25 a 30 graus. A grande diferença está no tempo de cura da resina, e na elasticidade do intercalante depois de pronto. A resina com base de poliéster resulta em uma camada mais flexível, que tem um desempenho acústico melhor e é apropriado para lugares com alta vibração (como barcos, trens…).

tipos de vidro laminadotipos de vidro laminado

A resina também pode ser pigmentada, o que permite diversas cores e aspectos finais assim como o PVB e o EVA.

Vantagens: Baixíssimo gasto de energia e não produz sobras de vidro. Também excelente para uso em peças pequenas e pequeno volume de laminação.

Permite a combinação de vidros com espessuras com diferença maior que 2mm.

Por ter uma espessura maior que o PVB e o EVA, a resina é mais resistente a impactos.

Desvantagens: A capacidade de produção é bem baixa, já que cada peça deve ser resinada manualmente uma a uma.

A espessura do intercalante é maior em comparação ao PVB e EVA.

Como é feita a laminação:

  1. Se o Vidro precisar ser temperado, isso deve ser feito antes da laminação;
  2. Os vidros são limpos com produto próprio e logo em seguida secos com pano limpo (que não solta fiapo, fio…);
  3. Em seguida a fita que dá o distanciamento correto entre as peças é colada nas pontas dos vidros;
  4. Os vidro são sobrepostos e posicionados com o correto alinhamento;
  5. A proteção da fita adesiva é retirada para que o vidro de cima cole nela também, exceto de uma lateral do vidro por onde a resina será colocada;
  6. Uma espécie de pá-funil é inserida entre os dois vidro na lateral onde a fita não foi colada no segundo vidro e através dela a resina vai sendo derramada entre os vidros;
  7. Quando a resina atinge uma certa altura o vidro é deitado para que ela se espalhe por todo o espaço faltante e a proteção da fita adesiva é retirada para que o vidro feche a passagem antes aberta;
  8. Por ultimo as bolhas de ar são retiradas por seringas e os espaços são vedados com cola neutra ou silicone neutro.
  9. A partir daí são 8 horas à 24 horas para a cura da resina de base de poliéster, e 15 a 20 minutos para a resina com base acrílica (na mesa com lâmpadas UV).

Obs: No vídeo a resina é branca pois foi adicionado um pigmento e o aspecto final desejado é o branco leitoso.

Curiosidade: Por ter uma espessura maior, ela é mais resistente à impactos e favorece a produção de vidros blindados.

Certificação: Não encontrei nada sobre a certificação da resina, mas sei que há um grande movimento do setor vidreiro junto com a ABNT para normatizar a laminação com resina. O texto da NBR 7199 foi revisado e encaminhado à consulta nacional.

Fabricantes: Há alguns fabricantes de resina aqui no Brasil e os mais utilizados são a Foster’s (resina com base de poliéster conhecida como Fosterglass), a Effectus (resina com base de poliéster conhecida como Astrocure), a Cytec (resina com base acrílica conhecida como Uvekol) e a Kommerling (resina com base acrílica conhecida como Kodiguard).

Vidro laminado com PVB:

A laminação com PVB (Polivinil Butiral) é a mais utilizada no mercado, ela é responsável por cerca de 85% de todo o vidro laminado do Brasil, ele é composto por resina, plastificantes e outros materiais. Há um único fabricante de PVB instalado no Brasil, porém a variedade de produtos é muito grande. Desde cores até PVB de alto desempenho acústico.

tipos de vidro laminado

Ela é feita em chapas, geralmente de 3,21×2,20m ou 3,21×2,40m mas também pode ser feita em chapa jumbo de 3,21×6,00m, e o corte das peças é feito após a laminação, o que agiliza muito o processo porém aumenta a perda de material. É possível laminar peças menores que o tamanho da chapa tradicional e laminar peças já cortadas na dimensão final (caso de vidros temperados antes da laminação), mas não é economicamente interessante ligar a linha somente para pequenas peças.

Com a laminação em chapas é preciso ter um cuidado maior no armazenamento das mesmas para que não haja contato com materiais que possam danificar as superfícies e bordas, para que não haja arranhões nem quebra, já que ficam mais tempo paradas na indústria.

tipos de vidro laminado

Vantagem: Grandes volumes de vidros podem ser laminados de uma única vez, é amplamente requisitada no mercado pela confiança.

Também tem grande variedade de cores e acabamentos.

Barra 99,9% dos raios UV que queimam móveis e desbotam cortinas e tapetes.

Desvantagem: Não vale a pena ligar a linha de PVB para laminar poucas peças.

Não permite a combinação de vidros com espessuras com diferença maior que 2mm.

Custo dos maquinários e espaço que eles necessitam.

Como é feita a laminação:

  1. Se o Vidro precisar ser temperado, isso deve ser feito antes da laminação;
  2. É feita a lavagem e secagem das chapas de vidro com cuidado para que não haja nenhuma sujeira;
  3. O PVB é aplicado entre os vidros, e a composição é levada para a calandra onde há uma pré-colagem (onde acontece a retirada do ar e pré-selagem das bordas através de calor e compressão);
  4. Em seguida a composição é colocada na autoclave, que funciona como uma panela de pressão gigante, com temperatura e pressão elevada, onde finaliza a colagem e a retirada do ar residual.
  5. O vidro então está pronto para ser cortado (se não foi temperado);

Curiosidade: Existe o PVB acústico, que melhora em torno de 50% o som percebido (claro que isso depende da composição do vidro também, se além de laminado ele é insulado, o tipo de esquadria).

Existe também um PVB cem vezes mais rígido e 5 vezes mais resistente chamado SentryGlass, ele foi amplamente utilizado nos vidros dos estádios feitos para a copa de 2014 já que atende às normas específicas de rigidez e resistência.

Certificação: O PVB é o intercalante mais certificado entre os três, talvez pela maior demanda existem diversos testes realizados, há inclusive vídeos na internet que mostram testes de esforço e impacto dos vidros laminados com esse intercalante.

Fabricantes: A única fabricante de PVB instalada no Brasil é a Solutia (Eastman), que conta com a linha Saflex e a linha Vanceva com muiiiitas cores!

Conclusão

Dentre os tipos de vidro laminado, é difícil dizer qual o melhor. Cada um cabe à um tipo de aplicação e ao preço que você está disposto a investir.

O importante é pesquisar sobre o local que você vai comprar e saber se os produtos dessa vidraçaria ou processadora são de qualidade, os intercalantes são bons e seguros contanto que feitos da maneira adequada.

Espero que essas informações tenham sido úteis!!

Obs.: O vidro laminado não é sinônimo de vidro colorido ok? Eu coloquei imagens de vidros coloridos para ilustrar as possibilidades de cores ALÉM do incolor. 😉

Vidros do futuro… já existem!

Vidros do futuro!

Em nossa história, desde os primórdios os materiais transformam sociedades e culturas… Existiu a idade da pedra, depois o bronze trouxe revolução às populações antigas. Por sua vez o aço transformou a sociedade mais recente e agora podemos dizer que estamos na era do vidro.

O vídeo abaixo tem o título de “Um dia feito de vidro” foi feito pela Corning, uma empresa com mais de 160 anos de existência é um dos líderes mundiais de inovação em ciência dos materiais. Dentre os diversos estudos da empresa, o vidro aparece trazendo leveza e integração e leveza aos objetos do cotidiano. – A Corning é a empresa que desenvolveu o Gorilla Glass para tela de celulares e tablets, um vidro extremamente resistente a quedas que é encontrado nos celulares Samsung mais recentes. 

Ela já possui tecnologia para fazer real tudo que aparece no vídeo, onde há muita interação entre pessoas e objetos. (O vídeo é em inglês porém não há falas… então dá pra ter uma boa idéia de tudo).

Apesar de bem caras ainda, e por isso pouquíssimo difundidas, a tecnologia já existe e estamos cada vez mais perto de viver como nos filmes futuristas! =)

Não satisfeitos em nos fazer querer esse futuro pra já, eles fizeram mais um vídeo chamado “Um dia feito de vidro 2”, onde ampliaram os conceitos de usos de suas tecnologia para escolas e hospitais…

Apesar da tecnologia empregada no hospital estar bem além da realidade atual, a mesa interativa vista na escola já existe em alguns lugares do mundo!

Eu adorei ver como o futuro pode ser… e você?

Cozinha em vidro!

Que tal uma cozinha em vidro? Pois é, uma tendência que tem tudo pra dominar o mercado são os eletrodomésticos em vidro! Estive em Março na ExpoRevestir em São Paulo, uma feira que mostra tendências de revestimentos e alguns ítens de decoração como eletrodomésticos, e vi que marcas renomadas estão trazendo diversos eletrodomésticos com revestimento em vidro!

Você está imaginando aquele cooktop em vidro certo? Pois saiba que o vidro vai além, e prova ser um grande aliado na facilidade da limpeza e costumização (já que é possível pintá-lo de várias cores).

Cozinha em vidro da Brastemp

A cozinha abaixo é toda da Brastemp e traz os eletrodomésticos em vidro branco! É um projeto de Pedro Mendes da Rocha (filho de Paulo Mendes da Rocha), em um ambiente conceitual inspirado pelos elementos da linha Vitreous da Brastemp, o vidro, o branco e a leveza!

cozinha em vidro

Para combinar com os eletrodomésticos, Pedro Mendes da Rocha utilizou no piso vidro branco em grandes peças quadradas e nas bancadas vidro branco compondo todo o ambiente com a mesma linguagem!

cozinhas em vidro

E quando eu digo eletrodomésticos, eu quero dizer os básicos que compõem uma cozinha, como geladeira, forno, microondas, máquina de lavar louça, coifa…

cozinhas em vidro

Abaixo a geladeira toda revestida em vidro branco, com comandos na tela sensível ao toque.

cozinha em vidro

A esquerda o microondas de embutir e a direita o forno de embutir. Ambos com a mesma linguagem tornando a linha complementar.

cozinha em vidroMicro-ondas-de-Embutir-Brastemp-Vitreous

Abaixo os dois tipos de coifa da linha, um de teto e outro de parede.

 cozinha em vidrocozinha em vidro

A maquina de lavar louça me encantou, super minimalista e também revestida em vidro branco, a máquina de embutir combina com qualquer tipo de cozinha.

cozinha em vidro

Mas também tem cooktop! Rsss…

Cooktops geralmente são em vidro, mas estamos acostumados a vê-los sempre na cor preta, certo? Mas olha esses cooktops da mesma linha Vitreous da Brastemp.

cozinha em vidroScreen Shot 2015-12-14 at 11.44.13 AM

A linha Brastemp é toda branca, mas se você prefere algo mais colorido a linha Vitra da Tramontina mostrou na Revestir 2015 alguns itens de sua nova coleção que também tem uso de vidro colorido.

Abaixo os cooktops na cor branca e vermelha, mas sei que há também na cor azul escuro e preto.

big94708271PDM001B Z01425582133

Outros elementos

As cubas em vidro colorido, também da Tramontina, trazem charme e praticidade para o dia-a-dia, elas estão disponíveis com composições variadas de cubas e também de cores. Abaixo a preta e a branca.

cozinha em vidro cozinha em vidro

A Eletromec tem uma grande variedade de coifas e depuradores com acabamento em vidro que também complementam nossa cozinha de vidro!

cozinha em vidro cozinha em vidro

Elas também tem três cores diferentes, preto, vermelho e branco:

15_2_g

 

Além dos eletrodomésticos…

A Cinex também apresenta lindas cozinhas com armários e bancadas em vidro, com acabamento brilhante ou fosco as composições deixam qualquer pessoa doida para ter uma cozinha deles em casa!

cozinha em vidro

As cozinhas geralmente têm a bancada em vidro colorido com acabamento fosco para dar mais aderência aos objetos.

cozinha em vidro

A mistura entre os vidros foscos e brilhantes fica muito interessante.

cozinha em vidrocozinha em vidro

Gostou da nossa cozinha de vidro? Até a próxima.

 

Vidro que evita a colisão de pássaros

Você sabia que existe vidro que evita a colisão de pássaros?! Existe sim!!

Fato…

Cada vez mais e mais prédios vêm adotando recursos para evitar a colisão de pássaros com a fachada, já que de acordo com a “American Bird Conservancy”, só nos EUA cerca de 1 bilhão de pássaros morrem a cada ano por colidirem com vidros de edifícios.

Vidro que evita a colisão de passáros

Essa é uma grande discussão em torno da arquitetura de edifícios que levam vidro em suas fachadas, e para prevenir esses acidentes, o mais importante é criar barreiras visuais para que os pássaros passem a “enxergar” a ilusão formada pelos vidros, que refletem o céu dando a impressão de continuidade do espaço aéreo.

A preocupação é mundial.

O vídeo abaixo está em inglês (não achei nenhum em português ou legendado, desculpem!!), mas mostra um cuidadoso estudo feito nos Estados Unidos com pássaros selvagens para ver a reação deles em relação a diversos padrões em vidros, para entender o que eles evitavam.

Segundo o estudo, os pássaros evitam padrões com listras verticais com até 10 cm de distância entre as linhas (alguma semelhança com gaiolas?), e para listras horizontais ele só evitam padrões com até 5 cm de distância entre as listras se a distância for maior eles tentam voar por entre as linhas.Vidro que evita a colisão de passáros

Acima o túnel utilizado para o teste onde dois vidros são colocados um ao lado do outro, um com padrão no vidro e outro sem padrão algum. À frente do vidro há uma tela de tecido (parecido com uma teia de aranha) que evita que o passáro colida com o vidro durante o experimento, a intenção aqui é somente testar a reação do pássaro.

Já existe vidro que evita a colisão de pássaros?

Abaixo, Centro de Visitantes do Brooklyn Botanical Gardens, nos Estados Unidos incorporou padrões verticais que passam o sinal de barreira para os pássaros. Foi feita uma serigrafia (desenho com esmalte cerâmico) no vidro de acordo com o padrão escolhido.

vidro que evita a colisão de pássaros

É possível usar película ou serigrafia com padrões e desenhos que mostrem aos pássaros que há algo ali, e há os mais variados tipos de padrões, veja alguns abaixo:

Vidro que evita a colisão de passárosVidro que evita a colisão de passáros

Aposto que você pensou que o padrão é “feinho”, mas os edifícios abaixo mostram que a criatividade transforma a solução em obra de arte!

Vidro que evita a colisão de passárosVidro que evita a colisão de passáros

O vidro fosco também é uma maneira legal de evitar a colisão de pássaros e traz luminosidade natural para o edifício, mantendo a privacidade. O projeto abaixo demonstra como essa solução também fica muito bonita.

Vidro que evita a colisão de passáros

Vidro que evita a colisão de pássaros com tecnologia!

Ah mas você gostaria de uma solução que não influenciasse na fachada né? Tudo bem!! A Arnold Glass criou uma solução sensacional, o vidro chamado Ornilux.

O que para nós parece um vidro incolor comum, para o pássaro a visão é de uma teia de aranha! Legal né? Os testes realizados com esse vidro junto com a American Bird Conservancy, demostraram uma queda de 75% no número de colisões de pássaros (é que vidros refletivos diminuem a visibilidade do padrão).Vidro que evita a colisão de passáros

Esse vidro tem uma camada que reflete raios UV com um padrão que se assemelha à uma teia, esse desenho faz com que os pássaros vejam a teia mas que o vidro continue transparente aos nossos olhos. É que os pássaros conseguem enxergar níveis de raios UV que não são tão visíveis para os humanos. Abaixo a imagem demonstra perfeitamente como é o aspecto do vidro!

Vidro que evita a colisão de passáros

O vidro Ornilux foi lançado na Alemanha em 2006 e em 2009 teve melhorias em seu desempenho, apesar da solução ser excelente esse vidro ainda não está disponível no Brasil, provavelmente pela falta de exigências bird-friendly em construções… Mas isso é questão de tempo!

Vidro que evita a colisão de passáros

 

Vidro e sustentabilidade!

Você sabia que vidro e sustentabilidade tem tudo a ver? Apesar de não ser biodegradável, o vidro é 100% reciclável, isso quer dizer que o vidro pode ser reciclado infinitamente sem perder qualidade ou pureza no processo. Ou seja, 1kg de vidro se torna 1kg de vidro igual ao anterior sem poluição par ao meio ambiente. Isso não é lindo?

vidro e sustentabilidade

Aliás, como já falei nesse post, toda a fabricação de novos vidros leva cacos de vidro porque isso ajuda a reduzir a temperatura necessária para fundir a massa, economizando a quantidade de energia e água gastas no processo e diminui a retirada de matéria prima da natureza.

A energia utilizada para a fusão do vidro no processo produtivo é proveniente do gás natural, por ser uma matriz energética menos poluente.

O Brasil produz em média 900 mil toneladas de embalagens de vidro por ano, deste total ¼ da matéria prima é proveniente de matéria reciclada em forma de caco. A cada 10% de caco de vidro utilizado na mistura, economiza-se 4% da energia necessária para a fusão nos fornos industriais e reduz 9,5% do consumo de água.

Vidros planos são ainda mais sustentáveis

Vidros planos utilizados na construção civil são ainda mais sustentáveis e vou te dizer porque! Quantas vezes você já trocou os vidros da sua casa? E no seu trabalho, quantas vezes o vidro foi substituído por outro?

vidro e sustentabilidae

Só trocamos um vidro em caso de quebra ou em caso de reforma, mas sabemos que isso são coisas que acontecem com baixíssima freqüência (na normalidade). A durabilidade do vidro também faz dele um produto sustentável!

Não há informações sobre a vida útil dos vidros nas construções, mas como o vidro não se deteriora, enquanto estiver inteiro ele permanece na construção, aqui no meu prédio o vidro é mais velho que eu e deve ter pelo menos uns 40 anos. Pasmem!

Economia de energia

O vidro quando bem aplicado na arquitetura, ilumina naturalmente o ambiente e diminui o gasto com iluminação artificial, economizando recursos naturais! E quando eu digo bem aplicado, quero dizer que construções que não tem acompanhamento de um arquiteto podem ter janelas menores do que o necessário para iluminar e ventilar o ambiente!

vidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidade

Se o vidro for de proteção solar (falei sobre proteção solar aqui) melhor ainda, os vidros de proteção solar reduzem significativamente o calor do sol que entra nas construções e isso reduz também o uso do ar-condicionado, reduzindo o gasto de energia.

Isso é muito visível em grandes edifícios comercias que usam ar-condicionado o dia todo mas também é bastante significativo para residências com muito uso de ar-condicionado, utilizar vidro de proteção solar com um bom desempenho reduz o gasto com ar-condicionado em 30% ao ano. – O que isso quer dizer é que o vidro de proteção solar se paga com a economia que faz! Então pense bem na hora de escolher seu vidro, saiba os benefícios que ele vai te trazer e não pense só no custo, afinal o gasto com vidros é somente 3% da construção. 

vidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidade

A Vivix

A Vivix é uma fabricante de vidros brasileira e merece ser destaca aqui pela preocupação que tem em relação à preocupação com a gestão ambiental. A fábrica utiliza em seu processo produtivo a tecnologia L.E.M.™ (Low Energy Melter™), inédita no Brasil, que permite uma maior eficiência energética e a redução da emissão de gases de efeito estufa, em comparação com a média mundial das indústrias de vidros planos.

vidros e sustentabilidade

Tirando o forno de fusão, as demais etapas do processo produtivo e iluminação geral da fábrica consomem energia elétrica proveniente de fontes renováveis, como as oriundas de PCH´s e usinas de açúcar e álcool.

Os espelhos não eram reciclados pelas fábricas por causa da prata que não desprende do vidro, porém em uma palestra ontem a representante da Vivix disse que a mesma adotou um sistema de reciclagem de espelhos na fábrica em Pernambuco onde é possível fazer a reciclagem dos espelhos retirando quimicamente a prata do vidro. Ponto pra sustentabilidade!

Projetos

Podem ficar tranquilos ao colocar vidros em seus projetos, ele é um material sustentável e cheio de benefícios para o resultado final do ambiente!

Continuem criando e inovando com o vidro e agora com a consciência leve, sabendo que é um material eco-friendly. Está procurando idéias? Clique nas imagens abaixo e elas te levarão a postagens anteriores super interessantes!

vidros sustentáveisvidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidade

Espero que tenham gostado de saber dessa peculiaridade do vidro! Até a próxima!

{ Pisos de vidro }

Se tem uma coisa que me traz uma excelente sensação em projetos é a iluminação natural, e pisos de vidro além de toda a sua beleza e leveza permitem que a iluminação natural se propague pelos cômodos e espaços do projeto.

Pisos de vidro:

pisos de vidro

Falei do projeto acima nesse post sobre iluminação natural zenital (do teto), mas ele é um ótimo exemplo de como o piso de vidro pode deixar a luz do ambiente superior passar para o ambiente inferior. Isso porque a Vertical Glass House (Xangai) tem uma abertura no teto, por onde a luz entra e essa luz é propagada pelos 3 andares por pisos de vidro!

O projeto abaixo é um triplex que fica na Romênia, ilustra perfeitamente a idéia da iluminação natural e de quebra é um belíssimo projeto em vidro incolor laminado com estrutura em aço inox.

O guarda-corpo da escada segue a mesma idéia de deixar a iluminação natural passar e uma mesma peça une o vão dos dois lances de escada. (Falei sobre guarda-corpo nesse post aqui)

Pisos de vidro Pisos de vidro

Segundo a norma da ABNT, a NBR 7199 todo piso de vidro DEVE ser laminado! Já que em uma eventual quebra o vão não se abre e os cacos de vidro ficam colados no intercalante, garantindo que nenhum usuário se machuque com esse vidro. (Sobre vidros laminados veja esse post!)

Pisos de vidro

Outra dica é temperar a lâmina de vidro que ficará por cima do conjunto, isso garante uma maior resistência à impactos caso alguém derrube algo pesado em cima do piso. (Sobre vidros temperado eu falei aqui)

Outros tipos de vidro:

E se você está pensando que o vidro incolor tira muito a privacidade, é possível utilizar um vidro acidato ou até mesmo um vidro impresso (apesar do nome, o vidro impresso é um vidro com desenhos em alto ou baixo relevo).

Pisos de vidro Pisos de vidro

A vantagem do vidro impresso é que você pode escolher um modelo anti-derrapante e ter ainda mais segurança na sua solução, principalmente se for perto de uma área molhada.

Especificando pisos de vidro:

Para dimensionar o piso de vidro, adota-se sempre normas internacionais já que no Brasil ainda não há normas específicas para essa aplicação e os parâmetros europeus são bastante elevados. Normalmente, a carga considerada é de pelo menos 500 kgf/m2 para essa definição são usadas as normas européias e alguns cálculos que obedecem a critérios estabelecidos pela ABNT.

living-da-academiapisos de vidro

Pisos de vidroPisos de vidro

Para facilitar o dia-a-dia, a Cebrace disponibiliza um programa online que faz o calculo da espessura do vidro conforme a dimensão da peça. Por esse link você entra na área de calculo de espessura e escolhe pisos de vidro! O programa é bem auto explicativo, basta colocar as dimensões da peça em metros e responder qual o uso e se terá peso concentrado, serão sugeridos 6 tipos de solução, se não aparecer nenhuma é porque a sua peça de vidro está muito grande e você precisa dividi-la.

sala-de-estar-com-piso-de-vidro-cobertura-triplex-em-tel-aviv-israel

O progama só calcula para pisos que têm os quatro lados apoiados, ou seja todo o perímetro do vidro tem que ter uma estrutura para se sustentar. Para vidros com dois ou três lados apoiados é necessário buscar alguém especializado para calcular.

O projeto acima mostra um piso de vidro onde as peças são apoiadas em duas extremidades (as laterais), o guarda corpo é apoiado na mesma estrutura do piso, porém os vidros não se tocam.

Já os projetos abaixo mostram peças de vidro apoiadas em seus quatro lados.

pisos de vidropisos de vidro

Pisos de vidro pisos de vidro

Pisos de vidro esportivos:

Outro piso de vidro muito legal que já comentei aqui no blog é o dessa quadra poliesportiva, o piso permite que iluminação de LED delimitem as linhas referentes a cada esporte. Os vidros utilizados nessa quadra são antiderrapantes, e a cor é definida de acordo com a base utilizada, e pode ser escolhida dentre diversas cores.

pisos de vidropisos de vidro

Por essa você não esperava não é mesmo?

Apesar de não estar em altura, o vidro também deve ser laminado, para evitar acidentes em caso de eventual quebra. Quer saber mais sobre essa quadra? Eu falei dela nesse post aqui, em vidros que iluminam o esporte.

pisos de vidro

Se quiser saber mais sobre as normas técnicas de vidro, eu fiz um resuminho fácil que você pode acessar por aqui!

[:]