Escritório de vidro!

Escritório com muito vidro!

Uma imobiliária na Cinha levou o vidro ao extremo em sua arquitetura… Esse escritório de vidro que tem paredes de espelho, divisórias em vidro de proteção e piso e teto em vidro incolor está no coração de Shangai e foi concebido pela AIM Architecture.

Escritório de vidro

Esse escritório na minha opinião é uma obra de arte, o projeto leva vidro em todos os ambientes de uma maneira bem clean e o resultado ficou lindo.

Escritório de vidro impactante…

Com ares futurista o hall de entrada do escritório merece destaque, ele é todo revestido em vidro extra clear pintado de branco com iluminação de LED embutida entre as peças, até as portas dos elevadores foram revestidas. O brilho e o acabamento do vidro são únicos e o aspecto final é impecável!

Escritório de vidro

Adorei essa solução porque ela mostra a versatilidade do vidro, ele não precisa ser aplicado somente em tampos e painéis, você pode ter uma parede toda ou até um ambiente inteiro com ele!

Escritório de vidro

E as vantagens são o brilho, a facilidade na limpeza (existe vidro antibacteriano que pode ser aplicado em consultórios, clínicas e hospitais!) e a infinidade de cores em que o vidro pode ser pintado.

Escritório de vidro

Se quiser ter uma idéia das possibilidades de cores, dá uma olhada nesse catálogo da Sayerlack.

Escritório de vidro transparente…

Os arquitetos foram muito feliz na escolha dos vidros. Além dos espelhos que revestem as paredes cegas do ambiente, o vidro incolor trouxe sensação de amplitude por ter sido aplicado no piso e no forro em todo o escritório.

Escritório de vidro

O vidro do forro e do piso são incolor, temperado e laminado o que une a estética e a segurança ao projeto conforme a norma! 😉 Não sabe as normas?? Clica aqui que eu resumi!

Escritório de vidro

Escritório de vidro refletindo…

Achei incrível essa solução para a sala de reuniões, o vidro é fixado no forro da sala deixando o vão livre do piso até 50cm de altura. O efeito é lindo, e o vidro é refletivo na cor champanhe (o aspecto mais transparente é devido à iluminação interna da sala) e temperado com 10mm de espessura.

Para acentuar o aspecto de leveza, a fixação do vidro cria um espaçamento entre o final do vidro e a laje, mantendo a linguagem de espaçamento entre piso e a divisória de vidro.

Escritório de vidro

O vidro tem um guarda corpo fixado nele para evitar que as pessoas trombem com o vidro já que não há sinalização, por questão estética.

Gosto de mostrar projetos que utilizam o vidro de proteção solar (refletivo) de maneira diferente, o aspecto do vidro traz uma diversidade de opções de uso como divisórias, tampos de mesa, painéis para esconder a Tv, entre outras muitas soluções…

Escritório de vidro

Escritório de vidro extra clear…

Já a sala que abriga uma maquete, o vidro é extra clear para garantir uma perfeita visualização da parte interna da divisória.
Escritório de vidro

O vidro que faz o papel de forro é fixado por spiders, também chamada de fixação tipo aranha. Para esse tipo de aplicação o vidro precisa ser laminado, para evitar que cacos se desprendam em caso de eventual quebra, e temperado por causa das furacões – vidros que têm furação são mais sucetíveis a quebra se não temperados.
Escritório de vidro

Gostou desse projeto? Eu também!!

Se quiser ver mais projetos inspiração é só dar uma olhadinha nos tópicos á direita e escolher. 😉

 

Fachada do Van Gogh Museum – Amsterdã

O Museu Van Gogh em Amsterdã, um dos mais visitados na Holanda, recentemente inaugurou a nova entrada do seu popular anexo.

Geralmente quando pensamos em adição de volume à edifícios antigos, vemos um desafio em unir duas etapas sem descaracterizar a arquitetura existente. Mas o volume em vidro é uma solução que completa muitas obras com maestria, como nesse projeto que comparando o antes e depois, ficou muito mais interessante.

Fachada do Van Gogh Museum

Nesse corte esquemático abaixo, podemos ver que os dois edifícios são ligados pelo subsolo e era o único acesso ao anexo. Com a alteração, agora é possível acessar o anexo pelo piso térreo e todo o espaço agora ficou protegido da chuva e do frio.Fachada do Van Gogh MuseumAbaixo podemos comparar uma foto de antes da ampliação, onde não havia acesso por esse piso e uma foto da ampliação terminada, onde agora há uma porta e uma escada de acesso ao piso inferior.

Fachada do Van Gogh MuseumFachada do Van Gogh Museum

(Foto da direita de Ronald Tilleman)

O edifício é de 1999 e a ampliação acaba de ficar pronta (Setembro 2015), ela foi necessária porque o museu recebe cada vez mais pessoas, e era preciso criar um outro acesso ao anexo, além de proteger o acesso existente das intempéries já que em Amsterdã há épocas de frio intenso.

Fachada do Van Gogh MuseumFachada do Van Gogh Museum

(Foto da direita de Ronald Tilleman)

Para a ampliação foi concebida uma redoma em vidro, que acompanha o design do edifício existente. A redoma tem estrutura metálica e a fixação dos vidro é do tipo pele de vidro com estrutura de apoio também em vidro.

Fachada do Van Gogh Museum

(Foto de Ronald Tilleman)

Na foto acima e abaixo dá pra ver bem a estrutura em vidro que apoia a estrutura metálica. O vidro, apesar de parecer um vidro incolor comum, é um vidro Low-e (baixo emissivo) e insulado (duplo).

Esse tipo de solução oferece alta transmissão luminosa – muita luz natural -, baixa reflexão externa – vidro sem efeito espelhado, semelhantes ao vidro incolor sem proteção – e baixos coeficientes de transmissão térmica – pouquíssima troca de calor entre os ambientes.

Para o clima do projeto esse é o vidro ideal, já que permite a passagem de muita luz natural, e reduzindo significativamente a troca de temperatura externas e internas do edifício.

A Holanda tem uma posição geográfica de menor incidência de luz solar do que o Brasil, por exemplo, e por isso consegue utilizar vidros não refletivos sem ofuscar (excesso de luz) a parte interna da obra.

E por ter grandes diferenças de temperaturas entre a parte externa e a parte interna no inverno, o vidro Low-e insulado garante que a perda do calor interno seja muito pequena, economizando energia com calefação. No verão as diferenças de temperatura são menores, mas o vidro também garante que não haja troca entre os ambientes.

Fachada do Van Gogh Museum

(Foto de Ronald Tilleman)

A escolha do vidro permitiu seguir o design do edifício existente sem descaracterizar a arquitetura, já que é possível ver a fachada antiga através do vidro.

Fachada do Van Gogh Museum

A cobertura de vidro é abaulada, para dar espaço ao volume que sai do prédio existente. Abaixo fotos da vista externa e da vista interna da forma que o vidro faz em relação ao edifício.

Fachada do Van Gogh Museum

Fachada do Van Gogh Museum

A escada que permite esse novo acesso também chama atenção por ter a mesma linguagem da cobertura com estrutura metálica mas piso e guarda corpo em vidro.

Fachada do Van Gogh Museum

(Foto de Luuk Kramer)

Repare na leveza que ela transmite, principalmente se comparada com as escadas rolantes ao lado. O guarda corpo é fixado com botões (prolongadores) e o vidro é extra clear termo endurecido – lá eles utilizam uma técnica similar à tempera que usamos no Brasil, porém a técnica deixa o vidro 2 vezes mais resistente enquanto a tempera deixa 5 vezes mais resistente à quebras e troca de temperatura.

O piso da escada recebe duas laminações, as duas primeiras chapas de vidro são incolor comuns e a chapa do topo é de vidro extra clear, acidato  e termo endurecido. Isso garante que o vidro resista ao peso de várias pessoas circulando pela escada.

Fachada do Van Gogh MuseumFachada do Van Gogh MuseumFachada do Van Gogh Museum

(Fotos de Luuk Kramer e Ronald Tilleman)

O museu e a relação dele com a ampliação do anexo:

Fachada do Van Gogh Museum

(Foto de Ronald Tilleman)

Vidro que evita a colisão de pássaros

Você sabia que existe vidro que evita a colisão de pássaros?! Existe sim!!

Fato…

Cada vez mais e mais prédios vêm adotando recursos para evitar a colisão de pássaros com a fachada, já que de acordo com a “American Bird Conservancy”, só nos EUA cerca de 1 bilhão de pássaros morrem a cada ano por colidirem com vidros de edifícios.

Vidro que evita a colisão de passáros

Essa é uma grande discussão em torno da arquitetura de edifícios que levam vidro em suas fachadas, e para prevenir esses acidentes, o mais importante é criar barreiras visuais para que os pássaros passem a “enxergar” a ilusão formada pelos vidros, que refletem o céu dando a impressão de continuidade do espaço aéreo.

A preocupação é mundial.

O vídeo abaixo está em inglês (não achei nenhum em português ou legendado, desculpem!!), mas mostra um cuidadoso estudo feito nos Estados Unidos com pássaros selvagens para ver a reação deles em relação a diversos padrões em vidros, para entender o que eles evitavam.

Segundo o estudo, os pássaros evitam padrões com listras verticais com até 10 cm de distância entre as linhas (alguma semelhança com gaiolas?), e para listras horizontais ele só evitam padrões com até 5 cm de distância entre as listras se a distância for maior eles tentam voar por entre as linhas.Vidro que evita a colisão de passáros

Acima o túnel utilizado para o teste onde dois vidros são colocados um ao lado do outro, um com padrão no vidro e outro sem padrão algum. À frente do vidro há uma tela de tecido (parecido com uma teia de aranha) que evita que o passáro colida com o vidro durante o experimento, a intenção aqui é somente testar a reação do pássaro.

Já existe vidro que evita a colisão de pássaros?

Abaixo, Centro de Visitantes do Brooklyn Botanical Gardens, nos Estados Unidos incorporou padrões verticais que passam o sinal de barreira para os pássaros. Foi feita uma serigrafia (desenho com esmalte cerâmico) no vidro de acordo com o padrão escolhido.

vidro que evita a colisão de pássaros

É possível usar película ou serigrafia com padrões e desenhos que mostrem aos pássaros que há algo ali, e há os mais variados tipos de padrões, veja alguns abaixo:

Vidro que evita a colisão de passárosVidro que evita a colisão de passáros

Aposto que você pensou que o padrão é “feinho”, mas os edifícios abaixo mostram que a criatividade transforma a solução em obra de arte!

Vidro que evita a colisão de passárosVidro que evita a colisão de passáros

O vidro fosco também é uma maneira legal de evitar a colisão de pássaros e traz luminosidade natural para o edifício, mantendo a privacidade. O projeto abaixo demonstra como essa solução também fica muito bonita.

Vidro que evita a colisão de passáros

Vidro que evita a colisão de pássaros com tecnologia!

Ah mas você gostaria de uma solução que não influenciasse na fachada né? Tudo bem!! A Arnold Glass criou uma solução sensacional, o vidro chamado Ornilux.

O que para nós parece um vidro incolor comum, para o pássaro a visão é de uma teia de aranha! Legal né? Os testes realizados com esse vidro junto com a American Bird Conservancy, demostraram uma queda de 75% no número de colisões de pássaros (é que vidros refletivos diminuem a visibilidade do padrão).Vidro que evita a colisão de passáros

Esse vidro tem uma camada que reflete raios UV com um padrão que se assemelha à uma teia, esse desenho faz com que os pássaros vejam a teia mas que o vidro continue transparente aos nossos olhos. É que os pássaros conseguem enxergar níveis de raios UV que não são tão visíveis para os humanos. Abaixo a imagem demonstra perfeitamente como é o aspecto do vidro!

Vidro que evita a colisão de passáros

O vidro Ornilux foi lançado na Alemanha em 2006 e em 2009 teve melhorias em seu desempenho, apesar da solução ser excelente esse vidro ainda não está disponível no Brasil, provavelmente pela falta de exigências bird-friendly em construções… Mas isso é questão de tempo!

Vidro que evita a colisão de passáros

 

Vidro e sustentabilidade!

Você sabia que vidro e sustentabilidade tem tudo a ver? Apesar de não ser biodegradável, o vidro é 100% reciclável, isso quer dizer que o vidro pode ser reciclado infinitamente sem perder qualidade ou pureza no processo. Ou seja, 1kg de vidro se torna 1kg de vidro igual ao anterior sem poluição par ao meio ambiente. Isso não é lindo?

vidro e sustentabilidade

Aliás, como já falei nesse post, toda a fabricação de novos vidros leva cacos de vidro porque isso ajuda a reduzir a temperatura necessária para fundir a massa, economizando a quantidade de energia e água gastas no processo e diminui a retirada de matéria prima da natureza.

A energia utilizada para a fusão do vidro no processo produtivo é proveniente do gás natural, por ser uma matriz energética menos poluente.

O Brasil produz em média 900 mil toneladas de embalagens de vidro por ano, deste total ¼ da matéria prima é proveniente de matéria reciclada em forma de caco. A cada 10% de caco de vidro utilizado na mistura, economiza-se 4% da energia necessária para a fusão nos fornos industriais e reduz 9,5% do consumo de água.

Vidros planos são ainda mais sustentáveis

Vidros planos utilizados na construção civil são ainda mais sustentáveis e vou te dizer porque! Quantas vezes você já trocou os vidros da sua casa? E no seu trabalho, quantas vezes o vidro foi substituído por outro?

vidro e sustentabilidae

Só trocamos um vidro em caso de quebra ou em caso de reforma, mas sabemos que isso são coisas que acontecem com baixíssima freqüência (na normalidade). A durabilidade do vidro também faz dele um produto sustentável!

Não há informações sobre a vida útil dos vidros nas construções, mas como o vidro não se deteriora, enquanto estiver inteiro ele permanece na construção, aqui no meu prédio o vidro é mais velho que eu e deve ter pelo menos uns 40 anos. Pasmem!

Economia de energia

O vidro quando bem aplicado na arquitetura, ilumina naturalmente o ambiente e diminui o gasto com iluminação artificial, economizando recursos naturais! E quando eu digo bem aplicado, quero dizer que construções que não tem acompanhamento de um arquiteto podem ter janelas menores do que o necessário para iluminar e ventilar o ambiente!

vidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidade

Se o vidro for de proteção solar (falei sobre proteção solar aqui) melhor ainda, os vidros de proteção solar reduzem significativamente o calor do sol que entra nas construções e isso reduz também o uso do ar-condicionado, reduzindo o gasto de energia.

Isso é muito visível em grandes edifícios comercias que usam ar-condicionado o dia todo mas também é bastante significativo para residências com muito uso de ar-condicionado, utilizar vidro de proteção solar com um bom desempenho reduz o gasto com ar-condicionado em 30% ao ano. – O que isso quer dizer é que o vidro de proteção solar se paga com a economia que faz! Então pense bem na hora de escolher seu vidro, saiba os benefícios que ele vai te trazer e não pense só no custo, afinal o gasto com vidros é somente 3% da construção. 

vidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidade

A Vivix

A Vivix é uma fabricante de vidros brasileira e merece ser destaca aqui pela preocupação que tem em relação à preocupação com a gestão ambiental. A fábrica utiliza em seu processo produtivo a tecnologia L.E.M.™ (Low Energy Melter™), inédita no Brasil, que permite uma maior eficiência energética e a redução da emissão de gases de efeito estufa, em comparação com a média mundial das indústrias de vidros planos.

vidros e sustentabilidade

Tirando o forno de fusão, as demais etapas do processo produtivo e iluminação geral da fábrica consomem energia elétrica proveniente de fontes renováveis, como as oriundas de PCH´s e usinas de açúcar e álcool.

Os espelhos não eram reciclados pelas fábricas por causa da prata que não desprende do vidro, porém em uma palestra ontem a representante da Vivix disse que a mesma adotou um sistema de reciclagem de espelhos na fábrica em Pernambuco onde é possível fazer a reciclagem dos espelhos retirando quimicamente a prata do vidro. Ponto pra sustentabilidade!

Projetos

Podem ficar tranquilos ao colocar vidros em seus projetos, ele é um material sustentável e cheio de benefícios para o resultado final do ambiente!

Continuem criando e inovando com o vidro e agora com a consciência leve, sabendo que é um material eco-friendly. Está procurando idéias? Clique nas imagens abaixo e elas te levarão a postagens anteriores super interessantes!

vidros sustentáveisvidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidade

Espero que tenham gostado de saber dessa peculiaridade do vidro! Até a próxima!

Nova fachada de vidro transforma casa de 40 anos!

O poder de uma fachada de vidro refletivo.

Fachada de vidro transforma casa de 40 anos de idade! A Craft Arquitectos solucionou a reforma de uma casa em Naucalpan, no México, com uma fachada dupla em vidro de proteção solar, mantendo a arquitetura original e ao mesmo tempo criando varandas protegidas dos olhares de fora do projeto.

Fachada de vidro transforma casa

Como a idéia era manter a arquitetura original da residência e fazer algumas mudanças para acomodar os novos moradores, o escritório optou por criar uma segunda fachada à frente da fachada original. Abaixo é possível ver a relação entre as duas fachadas.

Fachada de vidro transforma casa

Ao mesmo tempo a nova fachada precisava trazer mais privacidade aos moradores e fazer uma transição entre o privado e o público, já que nessa fachada há varandas que ficam de frente para uma avenida bastante movimentada e o vidro incolor foi utilizado amplamente na fachada original.

Fachada de vidro transforma casa

Abaixo uma ilustração de como a casa foi envelopada por outra fachada mas somente nas elevações que ficam de frente para a via já que fazem parte da fachada sul que recebe excesso de calor vindo do sol durante o verão, a parte posterior da fachada permaneceu da forma que sempre foi.

Fachada de vidro transforma casa

 

As vantagens de ter uma fachada em vidro refletivo vão além da privacidade já que esse tipo de vidro sempre traz em si a proteção solar e a redução da luminosidade, reduzindo significativamente o calor que vem de fora do edifício e o ofuscamento causado pela luz do sol (possibilitando não utilizar cortinas nas janelas). A foto abaixo mostra perfeitamente o quão agradável um ambiente fica sem o ofuscamento do sol, já que podemos ver a diferença entre o sol que passa pelo vidro e o que passa pelos vãos da fachada.

Fachada de vidro transforma casa Fachada de vidro transforma casa

A nova fachada de vidro foi contemplada com aberturas que permitem a circulação natural do vento sem comprometer a ventilação no interior do projeto, o vidro de proteção escolhido para essa fachada é um vidro laminado na cor bronze, a pele de vidro é fixada por uma estrutura metálica na cor chumbo.

Fachada de vidro transforma casa Fachada de vidro transforma casa

Fachada de vidro transforma casa Fachada de vidro transforma casa

No interior do projeto o vidro foi utilizado para contrabalancear com as novas vigas metálicas que as escadas e nova passarela receberam, elas dão acesso à cobertura que o projeto ganhou.

As escadas e rampa têm guarda corpo em vidro incolor laminado de 12mm, totalmente embutido no sistema e sem corrimão, dando leveza e trazendo modernidade ao interior da residência.

Fachada de vidro transforma casa Fachada de vidro transforma casa

O efeito final dessa residência é uma óbvia revitalização do espaço mantendo as características originais, mas a fachada envidraçada trouxe um ar moderno, além de ser extremamente funcional.

Fachada de vidro transforma casa

{ Vidro Low-e, ou baixo emissivo }

Existe vidro comum e existe vidro de proteção solar (post legal sobre proteção solar aqui), dentro da família de vidros de proteção solar existe um tipo denominado Low-e.

vidro low-e

Low-e é abreviação de low emissivity, que, em português, significa “baixa emissividade”. A emissividade é a propriedade de transmitir o calor absorvido que os materiais possuem. É uma característica do vidro à qual pode ser atribuído um valor e quanto menor for a emissividade, menos calor o vidro deixa passar.

Então vidro baixo emissivo é um vidro que tem baixa transferência de temperatura entre o ambiente interno e o ambiente externo.

Como isso funciona?

O Sol emite três tipos de ondas: os raios UV, a luz visível e o infravermelho que é o calor que sentimos quando expostos à luz solar.

O vidro Low-e possui a capacidade de refletir a maior parte das ondas infravermelhas (calor) e também dos raios UV, porém permitindo a passagem da luz visível (que é somente luz). Os vidros de proteção solar sem Low-e reduzem também a passagem da luz visível.

vidro low-e

Além dessa característica o vidro Low-e, como todos os vidros, absorve uma quantidade desse calor irradiado pelo sol. E é aí que o ele se destaca, porque a transmissão desse calor absorvido é muito pequena. Na imagem abaixo é chamado de calor re-irradiado para o interior.

vidro low-e

O chamado Valor U é um valor numérico que mensura a emissividade do vidro, ou seja, sua capacidade de transferir calor por meio de condução. Quanto menor o Valor U, menos calor esse vidro transfere. Para fazer uma comparação um vidro comum tem emissividade de 0,89, enquanto em um low-e ela pode chegar a 0,03. Esse valor é utilizado para dimensionamento de uso do ar condicionado das edificações.

vidro low-e

Muita gente me questiona se esse vidro muito utilizado fora do Brasil, realmente funciona para o nosso clima. Em um país quente, o Low-e sem proteção solar provocaria um efeito estufa deixando o calor da radiação solar entrar e impediria que ele saísse por meio de condução, aumentando a temperatura do ambiente e forçando um aumento no uso do ar condicionado.

Aqui e em outros países quentes, o Low-e é utilizado em conjunto com uma camada de controle solar que tem como principal característica o bloqueio do calor emitido pelos raios do sol. Então esse vidro de proteção solar ganha um bônus com o Low-e: a baixa transferência térmica do exterior para o interior.

vidro low-e
Archiexpo

Uma curiosidade:

Todas essas características se acentuam se o vidro for insulado (duplo). O vidro Low-e insulado é bastante utilizado na indústria de refrigeração, em geladeiras e freezers de supermercados por exemplo, já que o vidro se encaixa perfeitamente na necessidade de evitar a troca de temperatura mantendo a transparência do vidro.

vidro low-e

Película nos vidros ?!

Falei sobre vidros de proteção solar aqui, e surgiram dúvidas sobre a película nos vidros, se elas funcionam e se substituem os vidros de proteção solar.

Essa é uma discussão que apareceu em muitas das palestras que dei como consultora técnica de vidros de proteção solar, e na minha opinião as películas concorrem sim com vidros de proteção solar, mas têm algumas desvantagens. Que me desculpem os defensores das películas, mas sabemos que marcas de qualidade são poucas no mercado.

Mas vou fazer a comparação considerando as películas de qualidade que encontramos no mercado (per exemplo as da 3M, e as da Nitra).

Assim como os vidros de proteção solar, as películas residenciais vêm sendo desenvolvidas a muitos anos e cada vez há mais opções. Elas existem em diversos aspectos e níveis de proteção, com aspecto espelhado e com aspecto neutro.

películas nos vidros

Uma grande desvantagem da película é a falta de informações disponíveis sobre quanto do calor será barrado em cada tipo de película, então a comparação entre vidros de proteção solar e películas compatíveis fica difícil. Eu tenho algumas amostras com essas informações, mas porque trabalho com vidros. Para o consumidor é bem difícil conseguir essas informações.

películas nos vidrospelículas nos vidros películas nos vidros películas nos vidros

Porém ao analisar esses dados, não podemos considerar o total de energia solar rejeitada como porcentagem de calor que é barrado. Já que o spectro solar é formado por 10% de raios UV, 40% de luz visível e 50% de Infravermelho, essa energia solar rejeitada também se refere à raios UV e luz.

Para analisar corretamente devemos somar a energia solar transmitida e a energia solar absorvida (como é calculado o Fator Solar dos vidros de proteção solar), então teremos quanto calor cada película vai barrar.

películas nos vidros

Essa tabela da 3M se baseia nas regras americanas para cálculo de calor rejeitado, essa tabela permite saber corretamente o quanto do calor é barrado.

Das amostras acima a que melhor protege do calor é a Reflecta Silver/Gary 15%, que barra 47%. Porém só transmite 5% de luz natural, seria ideal para ambientes que necessitam de pouca luz como um quarto de televisão mas seria muito ruim para uma cozinha por exemplo.

películas nos vidros

Se compararmos a um vidro de proteção solar com bloqueio de calor de 44% (Light Blue 52 da Guardian) ele transmite 55% de luz natural, e é ideal para residências e edifícios que querem um aspecto de vidro comum, sem a alta reflexão.

películas nos vidrosConclusão da minha comparação, a película de melhor desempenho da marca Nitra é compatível (comparando somente quanto calor impedem de passar) com o vidro de menor performance da Guardian. Ou seja vidros tem melhor performance que películas.

Outro ponto importante, o preço. Se você está construindo e quer ter proteção solar no seu vidro, pesquise bem. O vidro incolor comum é de aproximadamente R$49,00 o m² (4mm – média de preço em Brasília) para colocar a película você pagaria em torno de R$100,00 o m², então o metro quadrado de um vidro incolor 4mm com película de proteção solar ficaria R$149,00. Por esse preço você pode comprar um vidro de proteção solar como o Neutral 14 da Guardian ou o 120 ST  da Cebrace (também de 4mm), que respectivamente diminuem 74% e 70% do calor que entra no ambiente.

películas nos vidros películas nos vidros

Então não vale a pena usar película? Vale a pena se você não quer trocar os vidros já existentes na sua casa. Mas se está construindo, não vale. Mas se você está reformando ou quer proteção do calor na sua janela já existente, vale.

Outro ponto que vale a pena lembrar é que no mercado de películas existem as películas anti-vandalismo (ou de segurança) e películas de decoração.

A película de anti-vandalismo veio para competir com vidros temperados e com vidros laminados. Mas as normas sobre vidro de segurança não prevêem a película como solução, então para estar dentro da norma tem que ser temperado ou laminado. Mas se você tem um vidro comum em casa e quer torná-lo um vidro mais seguro, é possível utilizar a película sim.

Em películas de qualidade, a tentativa de quebra do vidro se torna bem mais difícil e em caso de quebra os cacos tendem a ficar presos na película.

Espero ter esclarecido sobre o assunto.

{ Vidros de proteção solar }

Vidros de proteção (ou controle) solar.

Vidros de proteção solar (também chamados de vidro de controle solar) causam muitas dúvidas e por isso vou falar sobre eles e sobre porque usá-los!

vidros de proteção solar

Para a especificação do vidro de proteção ou controle solar, é necessário que o projetista conheça suas características de desempenho e leve em consideração itens como transmissão de luz, calor, refletividade, cor do vidro, região em que se localiza a obra e finalidade da edificação. (viu porque sou especialista em vidro!)

Sem esses e outros estudos, há risco do projeto apresentar problemas como claridade desconfortável e aquecimento do ambiente interno ou até mesmo quebra de vidros devido ao stress térmico causado pela alta absorção do calor solar.

Primeiro: O que é um vidro de proteção solar?

Desenvolvido com tecnologia que garante o controle eficiente da intensidade de luz e do calor transmitidos para os ambientes internos, através das fachadas e coberturas, o vidro de proteção solar é um vidro comum incolor ou colorido que durante a sua fabricação, tem adição de óxidos ou sais, metálicos ou não. São essas substâncias que conferem ao produto as características de refletividade parcial. Elas se prendem como uma tatuagem no vidro e não se desprende ou desbota com o tempo (como a película). vidros de proteção solar

Porque eu devo utilizar vidro de proteção solar no no meu projeto?

O vidro de proteção solar traz várias vantagens que o vidro incolor não traz. Uma delas, como o nome já diz é a redução do calor que entra no ambiente através das portas, janelas, coberturas… Os vidros de proteção solar impedem que entre 30% e 80% do calor que atinge o vidro entre no ambiente! vidros de proteção solar Ai você me pergunta: isso é verdade? E eu te digo: É!

A tecnologia empregada atualmente nos vidros nos permite sim barrar até 80% do calor que incide no vidro!

Outra vantagem é que esses vidros diminuem a luminosidade que vem de fora, e isso é uma coisa boa sim! Vivemos em um país com alto índice de luminosidade e por isso o que geralmente fazemos é: fechar a cortina e acender a luz. Com o vidro de proteção solar você tem uma luminosidade confortável invadindo o ambiente e evita o gasto de luz artificial durante o dia. Claro que temos incidências diferentes nesse nosso Brasilzão, e devemos bloquear mais luz natural da região Norte do que da região Sul.

Como se duas não fossem o suficiente ainda há mais uma vantagem: a privacidade que o vidro refletivo proporciona. Muita gente me diz: Mas a noite com a luz de casa acesa, o vidro perde a privacidade. Bom, se fosse o vidro incolor você teria esse “problema” o dia todo, né? E há um pequeno truque para diminuir isso, utilizar iluminação direcionada para o vidro do lado de fora da casa. O esquema abaixo mostra como o vidro se comporta em relação à luz: vidros de proteção solar

E como funciona esse vidro tão tecnológico?

Pra explicar como o vidro de proteção solar funciona você precisa ver essa imagem abaixo. Ela representa um vidro de proteção solar laminado. (Falei de vidros laminados aqui)vidros de proteção solar Parece um pouco confuso, então vamos à explicação: O sol, lá de longe irradia seu calor e sua luz aqui na terra. O vidro que está nas fachadas dos edifícios e casas absorve um tanto desse calor (absorção), deixa entrar um tanto de calor no ambiente interno (transmissão) e reflete um outro tanto desse calor para fora (reflexão).

O calor que o vidro absorve esquenta o vidro em si, e esse calor do vidro também é transmitido para dentro e para fora do ambiente. Quanto mais esse vidro absorve e reflete para fora o calor menos calor entra no edifício, e por isso quanto mais refletivo (espelhado) é o vidro menos calor entra na obra.

A soma do que passa direto pelo vidro e do que é retransmitido do vidro para dentro do ambiente é chamada de Fator Solar (FS), quando especifico vidros para obras levo em consideração primeiro esse número, quanto menor o número menor a quantidade de calor a passar para dentro do ambiente.

Ex: O vidro de proteção solar da Cebrace 120 ST (4mm monolítico* – refletivo prata) tem o FS de 29, quer dizer que ele barra 71% do calor que entraria no ambiente. Já o vidro de proteção solar da Guardian Neutral 14 (4mm monolítico* – refletivo prata) tem o FS de 23, quer dizer que ele impede que 77% do calor entre no ambiente interno.

 vidros de proteção solar vidros de proteção solar

Tipos de vidro de proteção solar:

Atualmente os vidros de proteção solar oferecidos no mercado têm diversos aspectos e níveis de proteção solar.

Quando vou fazer especificações eu procuro entender primeiro que cor o arquiteto ou proprietário quer, as cores disponíveis são: verde, prata, azul e bronze (não é possível encomendar uma cor específica, temos que trabalhar as opções dentro dessas quatro cores).

vidros de proteção solar vidros de proteção solar

A segunda etapa é saber a insolação que aquela obra recebe em cada uma das fachadas para saber que tipo de proteção solar será necessária, e também se contará com ar condicionado. O quanto do calor que se deve bloquear pode variar de acordo com a orientação da fachada, a estação do ano, o local em que se encontra a edificação e o uso. Mas a variação é pequena. E, considerando um país tropical, sempre é preciso diminuir razoavelmente a quantidade de calor que penetra no prédio.

A terceira etapa é saber se o proprietário prefere vidros mais refletivos ou menos refletivos (espelhados) e saber qual será a ocupação do ambiente, pois o nível confortável de iluminação natural é diferente para cada tipo de uso. Ex: Um quarto de hospital exige uma luminosidade natural mais baixa do que uma cozinha na nossa casa.

vidros de proteção solar

Uma possibilidade que agrada a muitos arquitetos é utilizar um vidro de proteção solar com baixa reflexão, que tem aspecto de vidro comum mas que proporciona proteção solar.

Sempre gosto de esclarecer, a reflexão e a proteção solar andam juntas. Os vidros com baixa reflexão tem proteção solar menor. Tanto a Guardian quanto a Cebrace têm uma linha específica de vidros com baixa reflexão (se assemelham muito a um vidro comum), mas que ainda tem uma proteção muito maior do que um vidro sem proteção solar.

Ex: Vidro de proteção solar de baixa reflexão Cebrace Habitat Neutro Verde (4mm monolítico*)  tem FS de 46, ou seja barra 54% do calor. A Guardian tem o LB 52 (4mm monolítico*) tem FS de 58, ou seja diminui em 48%.

Vidros de proteção solar
                                                Habitat Neutro Incolor – Cebrace (Barra 30% do calor)

Uma dúvida comum é se o vidro de proteção solar altera a cor dos objetos que estão dentro do ambiente como sofás, cortinas e etc… Apesar de colorido por fora o vidro não altera a cor interna (a não ser que ele seja laminado com um intercalante colorido). As fotos abaixo, mostram a parte externa e a parte interna da obra.

                             vidros de proteção solar vidros de proteção solar

O exemplo abaixo é de um vidro refletivo verde:

vidros de proteção solar

Também é possível utilizar os vidros de proteção solar na decoração!

vidros de proteção solar
Bom em vidro refletivo prata (temperado)
vidros de proteção solar
Vidro refletivo bronze nos armários da cozinha!
Vidros de proteção solar
Armário do closet com vidros refletivos champanhe

*Monolítico: Quando o vidro é único, não há laminação. Apenas uma peça de vidro.