20 inspirações de box de vidro

Olá, hoje vou falar sobre um tópico muito visitado aqui no site: Box ! Sei que muita gente busca por idéias novas e diferentes para box, já que o tradicional é sempre muito igual. Então vou mostrar 20 inspirações de box de vidro que não são comuns: (Se quiser saber sobre normas, acesse aqui e sobre manutenção acesse aqui)

O banheiro abaixo tem um vidro fixo e tem as duas laterais abertas, obviamente não é uma solução prática porque a água vai se espalhar pelo banheiro todo, mas que fica lindo ah isso fica!

box de vidro

O chuveiro abaixo é bem mais tradicional, porém o trilho superior não vai de parede a parede, o que me chamou muita atenção. Não sei como o trilho se apoia no vidro fixo, mas achei a solução diferente do que se vê por ai!

box de vidro

O box abaixo mostra como o vidro acidato (jateado) faz um efeito bem legal no banheiro! Ele traz mais privacidade deixando a luz natural entrar no box. Se tivessem utilizado ferragens mais leves teria ficado mais bonito ainda!

box de vidro

O box a seguir, tem os vidros fixados por perfis de alumínio natural fosco e porta de abrir com pequenas ferragens e um puxador minimalista. O efeito é bastante clean e muito charmoso.

box de vidro

O próximo box também tem ferragens minimalistas e um vidro inteiro que vai do piso ao chuveiro. O conjunto lembra uma sauna, com direito à cromoterapia.

box de vidro

Que tal ease box que tem iluminação embutida e fechamento em vidro com detalhes bem discretos? É uma ótima solução para quem quer dar destaque à decoração e não ao vidro.

box de vidro

Esse próximo box eu gosto, por ter ousado na escolha do vidro do box. Foi utilizado um vidro fumê (cinza) acidato (tipo de jateado que não mancha), o que trouxe privacidade ao box controlando a luminosidade do ambiente. O espelho fixado no box não ficou lindo – na minha opinião-, mas é uma idéia para aproveitar melhor o espaço.

box de vidro

Essa solução abaixo é uma das minha favoritas, tem um excelente aproveitamento do espaço e aproveitou cada detalhe para dar funcionalidade, como os ganchos fixados atrás dos espelhos. O vidro incolor ajudou a integrar o ambiente e com isso ampliá-lo ao invés de parecer delimitar.box de vidro

Outra solução muito utilizada atualmente é o box com apenas um fechamento (frontal ou lateral), o que permite destacar mais a arquitetura e a decoração. O acabamento é bem clean o que não chama a atenção para o box.

box de vidro

O próximo box é feito com um vidro curvo incolor acidato, já que há um painel de vidro incolor o box foi pensado para dar um pouco mais de privacidade mas ganhou um design diferenciado e interessante.

20 inspirações de box em vidro

Já que entrei no assunto de box com vidro curvo, o box abaixo também ganhou destaque no banheiro. O vidro incolor curvo com porta pivotante no meio do banheiro é um detalhe à parte.

box de vidro

Abaixo mais um exemplo bem legal de aproveitamento do espaço, aqui o vidro foi utilizado somente como delimitador do espaço do chuveiro, mas ajuda a espelhar a iluminação da janela do box para o banheiro.

box de vidro

Esse box a seguir também utlizou ferragens pequenas e um puxador discreto, assim conseguiu destacar o revestimento do chuveiro. Quase não vemos as ferragens do box nessa solução, o perfil em baixo do vidro serve para evitar que a aguá que desce pelo vidro não escorra para fora do box, por isso o perfil foi mantido.

box de vidro

Abaixo um box que achei curioso porque não tem porta, mas ao mesmo tempo restringe bem a área molhada e evita que o banheiro fique encharcado após o banho. Também não é uma solução linda, mas serve de inspiração como solução sem porta.

box de vidro

A seguir o box tem vidro refletivo na cor bronze, que combinou com os tons utilizados no banheiro. O vidro refletivo funciona como um espelho mas permite que a pessoa que está tomando banho consiga ver o que acontece fora do box. Esse vidro permite bastante privacidade sem tirar a luminosidade. O trilho de cima foi embutido no gesso, o de baixo não foi pois é necessário ter uma barreira para a água não escapar.

box de vidro

Os boxes abaixo tem estrutura toda de vidro e até mesmo as roldanas correm no vidro. Solução muito simples e clean, mas que tem muita engenharia envolvida! Essa é uma das minhas soluções favoritas!

box de vidro

Essa porta pivotante com fixação por tubo de aço inox também é muito charmosa, a fixação dos vidros fixos foi feita por perfil “U” também em aço inox. Como a porta não tem um perfil embaixo para barrar a água, há uma pequena canaleta no degrau que coleta a água que vêm do chuveiro. Interessante essa solução alternativa, né?

box de vidro

Esse próximo chuveiro tem a parede do fundo em ângulo, e o vidro acompanhou o desenho destacando ainda mais esse detalhe. Apesar do desafio que é instalar o vidro dessa maneira o resultado ficou lindo!

box de vidro

Esse box abaixo é uma caixa no centro do banheiro, o vidro incolor recebeu adesivo com aspecto jateado até meia altura permitindo passar a luminosidade mas mantendo um pouco da privacidade. O topo do box recebeu um perfil “u” em aço escovado e na parte inferior o perfil ficou semi enterrado.

box de vidro

O último box desse post é um box curvo com porta de correr apoiada no trilho inferior. Já que havia mostrado anteriormente o de porta pivotante, quis mostrar a solução com porta de correr. Eu estou gostando bastante de box curvo, acho que ele permite elegância e é muito diferente do que vemos normalmente.

box de vidro

Espero que tenham gostado dos box que mostrei hoje, só para lembrar o box deve ser sempre feito com vidro temperado segundo a NBR 14207:2009, para garantir maior segurança ao usuário.

Se quiser ver mais sobre tipos de box e soluções, acesse aqui!

Tipos de vidro laminado

Algo que nos deixa em dúvida sobre vidro na hora de escolher um laminado são os tipos de vidro laminado. Qual é melhor? Quais as vantagens e desvantagens? Quais atendem às normas?

Vou explicar sobre os tipos de laminados, dizendo as diferenças entre eles e as vantagens e desvantagens de cada um. (Se você está lendo esse post e não sabe o que é vidro laminado, acessa esse post aqui primeiro)

Resumindo: o vidro laminado é composto por duas ou mais lâminas de vidro, onde o intercalante (que une as lâminas de vidro) é formado por o polivinil butiral (PVB), resina, ou EVA e aglutina os estilhaços quando o vidro é quebrado, impedindo a fragmentação.

Ele também melhora o desempenho acústico do vão e barra mais de 90% dos raios UV.

Tipos de vidro laminado…

Vidro laminado com EVA:

É um processo relativamente novo (no Brasil desde 2003), mas que vem conquistando espaço no mercado por sua facilidade de aplicação. Ele permite para os processadores do vidro menos perda de material no processo e menor consumo de energia, o que acaba refletindo no preço final da peça, já que você pode fazer uma otimização de peças.

O maquinário para esse tipo de laminação também tem menor custo do que o tradicional maquinário de PVB (de 3 a 10 vezes mais barato), além de ocupar um menor espaço físico para o processo (20m² contra 200m²). Por isso muitos processadores estão preferindo esse tipo de laminação.

O EVA (etileno-vinil-acetato) é visualmente como o PVB (incolor e translúcido), e os dois possuem a mesma espessura (0,38mm) e  podendo ser colorido.

tipos de vidro laminado

Vantagem: Não produz sobras de vidro e gasta muito menos energia. Ótima aceitação também no mercado de decoração por permitir laminar pequenas peças com custo competitivo e inserir tecidos, papéis, fotos, ou folhas por exemplo. (Inclusive o vidro curvo)

Desvantagem: A quantidade de produção é inferior à produzida em PVB (que faz 2000m² por dia enquanto o EVA produz até 500m² por dia).

Como é feita a laminação:

  1. Se o Vidro precisar ser temperado, isso deve ser feito antes da laminação (no vídeo abaixo eles mostram o vidro entrando e saindo da têmpera);
  2. O primeiro vidro é colocado em uma mesa, onde o filme de EVA é colocado por cima dele e em seguida o segundo vidro é colocado por cima do EVA;
  3. O filme de EVA é cortado rente às bordas dos vidros;
  4. A composição é colocada em uma das gavetas do forno de EVA e em seguida ela é fechada com uma manta de silicone próprio que gera vácuo nas peças;
  5. Em seguida a gaveta é colocada dentro do forno;
  6. O processo dura três horas e chega à temperatura máxima de 120 graus centígrados;
  7. O vidro é retirado do forno e está pronto.

Curiosidade: A laminação EVA também é utilizada em vidros eletronicamente opacados.

Certificação: Yveraldo Gusmão, diretor da Gusmão Representações, pioneiro na introdução desse equipamento no País, solicitou uma certificação de impacto, luz e umidade no Instituto Falcão Bauer da Qualidade (IFBQ). Agora o laminado com EVA está certificado na Europa, nos Estados Unidos e no Brasil quanto à sua segurança e qualidade.

Fabricantes: Um dos fornecedores de EVA do Brasil é a Bridgestone, marca japonesa que agregou bastante confiança ao produto, e há diversos fornecedores chineses também de alta qualidade.

Vidro laminado com Resina:

A laminação com resina é o processo mais antigo no mercado e de aplicação simples no vidro. A simplicidade de execução dispensa grandes e custosos maquinários, e o principio é o mesmo onde um produto é aplicado entre duas chapas de vidro e tem o papel de reter os cacos em caso de quebra.

A resina assim como o EVA permite a otimização dos vidros, evitando o desperdício de material. O processo necessita somente de 70 m² e não exige gastos adicionais de energia elétrica, o que faz da resina o processo mais econômico.

Há dois tipos de resina no mercado atualmente, as de base acrílica que têm sua cura em uma mesa com lâmpadas de UV e as de base de poliéster que são curadas em uma mesa de descanso com temperatura média de 25 a 30 graus. A grande diferença está no tempo de cura da resina, e na elasticidade do intercalante depois de pronto. A resina com base de poliéster resulta em uma camada mais flexível, que tem um desempenho acústico melhor e é apropriado para lugares com alta vibração (como barcos, trens…).

tipos de vidro laminadotipos de vidro laminado

A resina também pode ser pigmentada, o que permite diversas cores e aspectos finais assim como o PVB e o EVA.

Vantagens: Baixíssimo gasto de energia e não produz sobras de vidro. Também excelente para uso em peças pequenas e pequeno volume de laminação.

Permite a combinação de vidros com espessuras com diferença maior que 2mm.

Por ter uma espessura maior que o PVB e o EVA, a resina é mais resistente a impactos.

Desvantagens: A capacidade de produção é bem baixa, já que cada peça deve ser resinada manualmente uma a uma.

A espessura do intercalante é maior em comparação ao PVB e EVA.

Como é feita a laminação:

  1. Se o Vidro precisar ser temperado, isso deve ser feito antes da laminação;
  2. Os vidros são limpos com produto próprio e logo em seguida secos com pano limpo (que não solta fiapo, fio…);
  3. Em seguida a fita que dá o distanciamento correto entre as peças é colada nas pontas dos vidros;
  4. Os vidro são sobrepostos e posicionados com o correto alinhamento;
  5. A proteção da fita adesiva é retirada para que o vidro de cima cole nela também, exceto de uma lateral do vidro por onde a resina será colocada;
  6. Uma espécie de pá-funil é inserida entre os dois vidro na lateral onde a fita não foi colada no segundo vidro e através dela a resina vai sendo derramada entre os vidros;
  7. Quando a resina atinge uma certa altura o vidro é deitado para que ela se espalhe por todo o espaço faltante e a proteção da fita adesiva é retirada para que o vidro feche a passagem antes aberta;
  8. Por ultimo as bolhas de ar são retiradas por seringas e os espaços são vedados com cola neutra ou silicone neutro.
  9. A partir daí são 8 horas à 24 horas para a cura da resina de base de poliéster, e 15 a 20 minutos para a resina com base acrílica (na mesa com lâmpadas UV).

Obs: No vídeo a resina é branca pois foi adicionado um pigmento e o aspecto final desejado é o branco leitoso.

Curiosidade: Por ter uma espessura maior, ela é mais resistente à impactos e favorece a produção de vidros blindados.

Certificação: Não encontrei nada sobre a certificação da resina, mas sei que há um grande movimento do setor vidreiro junto com a ABNT para normatizar a laminação com resina. O texto da NBR 7199 foi revisado e encaminhado à consulta nacional.

Fabricantes: Há alguns fabricantes de resina aqui no Brasil e os mais utilizados são a Foster’s (resina com base de poliéster conhecida como Fosterglass), a Effectus (resina com base de poliéster conhecida como Astrocure), a Cytec (resina com base acrílica conhecida como Uvekol) e a Kommerling (resina com base acrílica conhecida como Kodiguard).

Vidro laminado com PVB:

A laminação com PVB (Polivinil Butiral) é a mais utilizada no mercado, ela é responsável por cerca de 85% de todo o vidro laminado do Brasil, ele é composto por resina, plastificantes e outros materiais. Há um único fabricante de PVB instalado no Brasil, porém a variedade de produtos é muito grande. Desde cores até PVB de alto desempenho acústico.

tipos de vidro laminado

Ela é feita em chapas, geralmente de 3,21×2,20m ou 3,21×2,40m mas também pode ser feita em chapa jumbo de 3,21×6,00m, e o corte das peças é feito após a laminação, o que agiliza muito o processo porém aumenta a perda de material. É possível laminar peças menores que o tamanho da chapa tradicional e laminar peças já cortadas na dimensão final (caso de vidros temperados antes da laminação), mas não é economicamente interessante ligar a linha somente para pequenas peças.

Com a laminação em chapas é preciso ter um cuidado maior no armazenamento das mesmas para que não haja contato com materiais que possam danificar as superfícies e bordas, para que não haja arranhões nem quebra, já que ficam mais tempo paradas na indústria.

tipos de vidro laminado

Vantagem: Grandes volumes de vidros podem ser laminados de uma única vez, é amplamente requisitada no mercado pela confiança.

Também tem grande variedade de cores e acabamentos.

Barra 99,9% dos raios UV que queimam móveis e desbotam cortinas e tapetes.

Desvantagem: Não vale a pena ligar a linha de PVB para laminar poucas peças.

Não permite a combinação de vidros com espessuras com diferença maior que 2mm.

Custo dos maquinários e espaço que eles necessitam.

Como é feita a laminação:

  1. Se o Vidro precisar ser temperado, isso deve ser feito antes da laminação;
  2. É feita a lavagem e secagem das chapas de vidro com cuidado para que não haja nenhuma sujeira;
  3. O PVB é aplicado entre os vidros, e a composição é levada para a calandra onde há uma pré-colagem (onde acontece a retirada do ar e pré-selagem das bordas através de calor e compressão);
  4. Em seguida a composição é colocada na autoclave, que funciona como uma panela de pressão gigante, com temperatura e pressão elevada, onde finaliza a colagem e a retirada do ar residual.
  5. O vidro então está pronto para ser cortado (se não foi temperado);

Curiosidade: Existe o PVB acústico, que melhora em torno de 50% o som percebido (claro que isso depende da composição do vidro também, se além de laminado ele é insulado, o tipo de esquadria).

Existe também um PVB cem vezes mais rígido e 5 vezes mais resistente chamado SentryGlass, ele foi amplamente utilizado nos vidros dos estádios feitos para a copa de 2014 já que atende às normas específicas de rigidez e resistência.

Certificação: O PVB é o intercalante mais certificado entre os três, talvez pela maior demanda existem diversos testes realizados, há inclusive vídeos na internet que mostram testes de esforço e impacto dos vidros laminados com esse intercalante.

Fabricantes: A única fabricante de PVB instalada no Brasil é a Solutia (Eastman), que conta com a linha Saflex e a linha Vanceva com muiiiitas cores!

Conclusão

Dentre os tipos de vidro laminado, é difícil dizer qual o melhor. Cada um cabe à um tipo de aplicação e ao preço que você está disposto a investir.

O importante é pesquisar sobre o local que você vai comprar e saber se os produtos dessa vidraçaria ou processadora são de qualidade, os intercalantes são bons e seguros contanto que feitos da maneira adequada.

Espero que essas informações tenham sido úteis!!

Obs.: O vidro laminado não é sinônimo de vidro colorido ok? Eu coloquei imagens de vidros coloridos para ilustrar as possibilidades de cores ALÉM do incolor. 😉

Glas Italia, o design italiano…

 

Quando penso em tendência e design sempre penso na Italia, e com o vidro não é diferente. Milão recebe todos os anos a feira mais conceituada em design, o Salon del Mobile (Salão de móveis) e recebe também a Vitrum, uma feira voltada ao vidro, suas tendências e lançamentos, além de máquinas e equipamentos.

Um tempo atrás, pesquisando sobre o design e vidro eu encontrei a Glas Italia, uma empresa de Milão que conta com a colaboração de 35 designers para desenvolver suas linhas de objetos de decoração em vidro.

design italiano

Eles trabalham o vidro de todas as maneiras que trabalhamos com eles no fechamento de vãos, mas conseguem transformá-los em objetos de decoração com uso no dia-a-dia.

Aliás só falar sobre o escritório que abriga a marca já vale um post todo!

design italiano

O edifício tem uma fachada dupla, onde a fachada de fora é de estrutura metálica e perfis de vidro autoportantes (farei um post falando sobre eles em breve), corte dele abaixo: design italiano

A segunda fachada é toda em vidro laminado incolor e entre as duas há um jardim.

design italiano

O interior tem paredes e divisórias em vidro e muitos móveis da marca, todos em vidro:

design italianodesign italiano design italianodesign italiano

São milhares de peças que concebidas e produzidas pela Glas Italia, e me adira o bom gosto e a diversidade de objetos, bem como a estrutura e qualidade de acabamento.

Cada objeto é pensado nos mínimos detalhes para que tudo seja harmonioso e para mim são quase obras de arte.

Explorando um pouco mais dos objetos, que tal essas prateleiras em vidro pintado branco, ou esses nichos com vidro laminado com PVB colorido para organizar a casa?

design italianodesign italiano

Abaixo uma mesa com vidros duplicados que dão muita personalidade e leveza ao ambiente. Ao lado a poltrona com estrutura em vidro incolor temperado 19mm, mas que com essas almofadas parece bastante confortável.

design italianodesign italiano

Abaixo, essas caixas são temperadas e laminadas com PVB colorido, o vidro de trás é craquelado (quebrado mesmo, mas o PVB segura os cacos no lugar) e recebe iluminação por dentro. E ao lado a mesa de centro toda colada com cola UV que se assemelha muito à uma colméia, em vidro fumê.

design italianodesign italiano

Abaixo o sofá da mesma coleção da poltrona acima, também todo em vidro temperado 19mm. E ao lado, um vidro que recebeu “meia” espelhação ficando com esse efeito de degradê e transparência – esse eu quero muiiiiiito.

design italianodesign italiano

Em seguida essas poltronas, que desafiam a fragilidade do vidro. Em vidro temperado também de 19mm essas poltronas aparentam leveza e trazem muita modernidade às formas retas e simples.

design italianodesign italiano

Esse banco em vidro de 19mm temperado e acidato abaixo também é um dos meus favoritos. Ao lado criados com efeito muito bonito criado pela laminação de dois vidros pintados, um laranja e um azul opaco.

design italianodesign italiano

A estante e as prateleiras abaixo também já entraram pra minha lista de queridinhos, a estante é toda em vidro verde temperado 15mm e as prateleiras tem o fundo em espelho.

design italianodesign italiano

Outra coisa que fico imaginando é um closet com várias peças dessa armário abaixo, imagina um do lado do outro em em cima uma prateleira única de madeira com iluminação para as roupas… as portas também podem ser em espelho.

design italiano

Eu adoro design e adoro vidro, já falei dessa marca antes aqui no blog e para mim essa fábrica de belezas em vidro está muito à frente de qualquer fábrica similiar.