Vidro transforma casa dos anos 60!

O studio americano MW Works transformou essa casa em Seattle, que é de meados dos anos 60, com uma reforma onde diversas paredes forram derrubadas e foram substituídas por vidro criando um layout mais aberto e integrando os jardins à casa.

American studio MW Works has knocked down walls and added glazing in this 1960s home in Seattle, to create a more open layout and connecting inside and outdoors.

vidro tranforma casa dos anos 60

Essa linda residência de 800 m2 foi compra por um jovem casal com dois filhos pequenos e que quiseram reformá-la para que atendesse ao estilo de vida deles.

This beautiful 800-square-foot residence was purchased by a young couple with two small children, who wanted it renovated to suit their lifestyle.

vidro tranforma casa dos anos 60

“A disposição dos ambientes da casa era muito boa, porém os ambientes eram muito delimitados para comportar o dia-a-dia dos novos proprietários”, diz a MW Works.

“The layout of the home was very well considered, but the character and flow between spaces wasn’t a good fit for the daily patterns of the new owners,” said MW Works.

vidro tranforma casa dos anos 60

Aqui a parede deu espaço para uma esquadria em alumínio com pintura que imita madeira, com vidro incolor temperado. A vantagem de usar esquadria em alumínio é a durabilidade, a madeira requer diversos cuidados e manutenção que o alumínio não precisa.

Here the previous wall made room for an aluminum frame with colorless tempered glass, the frame has paint that imitates wood. The advantage of using aluminum frames is durability, wood requires a lot of care and maintenance that aluminum does not need.

vidro tranforma casa dos anos 60

 Até mesmo o banheiro ganhou uma clarabóia que rasga o teto de fora a fora, o que permite ver o céu e garante muita iluminação natural. No caso de clarabóias, o vidro deve ser sempre laminado!

Even the bathroom has gained a skylight that rips the ceiling across the room, allowing to see the sky and ensuring plenty of natural light. In the case of skylights, the glass should always be laminated!

vidro tranforma casa dos anos 60

Espaços que antes tinham apenas janelas comuns de tamanho padrão, receberam grandes panos de vidro de piso ao teto para que o jardim fosse visto em todas as áreas de circulação e convívio.

Spaces that once had single-pane windows,  had walls replaced with glass apertures that stretch from floor to ceiling so openings around the courtyard, circulation paths and informal spaces can be linked with the courtyard.

vidro tranforma casa dos anos 60

O escritório também re-concebeu a cozinha, que anteriormente tinha paredes que faziam a divisão entre ela e a sala de jantar e a isolava das áreas de convivência. Mas mesmo com a limitação estrutural da casa, foi possível derrubar paredes e abrir a cozinha para a casa e para o exterior, permitindo uma transição contínua entre as áreas.

The studio also re-conceived the kitchen, which formerly was walled off from the dining area and isolated from other living zones. Through limited structural modifications, the team was able to open up the kitchen, providing seamless transitions to the dining and living rooms, as well as the backyard.

vidro tranforma casa dos anos 60

Esse projeto nos mostra como aberturas maiores modificam a interação entre ambientes e a ampliação de espaços com o uso do vidro.

Para ver outros exemplos, dá uma olhada nos links ali no lado direito da tela e veja outras possibilidades do vidro na arquitetura!

This project shows us how larger openings modify the interaction between environments and the enlargement of spaces with the use of glass.

To see other examples, take a look at the links there on the right side of the screen and see other possibilities of glass in the architecture!

Vidro laminado com SentryGlas ®

Por muitos anos, os intercalantes produzidos à partir do polivinil butiral (PVB) e do etileno-vinil-acetato (EVA) têm sido o material de segurança padrão usado pela indústria na produção de vidro laminado. Quem trabalha com vidro entende bem as possibilidades e limitações desse tipo vidro quando empregados em fachadas, coberturas, guarda-corpos e esquadrias. O intercalante SentryGlas, por outro lado, possibilita uma abordagem completamente nova e de maior resistência, pois é 100 vezes mais rígido e cinco vezes mais resistente que o PVB.

For many years, interlayers produced from polyvinyl butyral (PVB) and ethylene vinyl acetate (EVA) have been the standard safety material used by the industry in the production of laminated glass. Everyone who works with glass understands the possibilities and limitations of this glass when used in facades, roofs, railings and window frames. The SentryGlas interlayer on the other hand, provides an entirely new approach and greater resistance, because it is 100 times harder and five times stronger than PVB.

Vidro laminado com SentryGlas

Quando usar o SentryGlas?

O SentryGlas deve ser usado quando há uma demanda por uma material mais rígido e mais forte, um exemplo de uso é em estádios esportivos onde em caso de tumulto o vidro (mesmo em caso de quebra) deve resistir à pressão que a multidão fará nele, sem sair do lugar para garantir a segurança de todos os espectadores.

A solução também pode ser utilizada em janelas, portas e clarabóias resistes à furacão e bombas, e passarelas e pontes de vidro como essa daqui que falei em um outro post.

vidro laminado com sentryglas

Sentryglas safety is used when there is a demand for an extra strong material, an example of use is in stadiums where in case of turmoil the glass must resist the pressure that the crowd will make on it without moving (even in case of breakage), to ensure the safety of all viewers.

This solution can be used in many laminated glass applications including hurricane and bomb blast resistant windows, doors and skylights and structural glass flooring, stairs, walkways and pedestrian bridges.

vidro laminado com sentryglass

Qual a diferença entre a laminação comum e com Sentryglas?

O vídeo abaixo mostra bem a diferença entre os dois tipos de laminação, como os dois tipos se comportam durante a quebra.

The video below shows the difference between the two types of lamination, and how the two types behave during breakage.

Uma observação importante é que o vidro laminado só perde a estabilidade se os dois vidros que envolvem o intercalaste quebrarem, o que é bem difícil de acontecer em condições normais, por isso o Sentryglas tem aplicação específica para situações onde a ruptura dos dois vidros pode acontecer.

An important observation to make is that regular laminated glass only loses stability if the two glasses that surround the interlayer break, it is very difficult to occur under normal conditions, so the Sentryglas has specific application for situations where the breakage of the two glasses may happen.

Tijolos de vidro, muito mais do que uma loja Chanel

Você precisa ver a “Maison de cristal” da Chanel, em Amstrdã! Eu só posso dizer que o Studio MVRDV se superou com esse projeto, talvez porque eu goste de projetos em vidro mas principalmente porque eles levaram os tijolos de vidro a um outro nível!

Crystal House

A Crystal House que abriga a loja Chanel, tem os dois primeiros pavimentos inteiramente transparentes, e o efeito foi alcançado por tijolos de vidro – feitos com tecnologia pioneira, exclusivamente para o projeto – molduras das janelas em vidro e vigas em vidro, porém a arquitetura manteve íntegro o caráter histórico da rua comercial de Amsterdã, a PC Hooststraat, replicando as fachadas existentes do século XIX.

Tijolos de vidro

A partir do final do segundo pavimento, os tijolos de vidro se misturam com os tijolos tradicionais de cerâmica, a impressão é que os tijolos terracota flutuam na fachada.

Tijolos de vidro

Acredito que esse seja um grande e valioso avanço no uso de vidro para a construção como elemento estrutural, um grande passo para o vidro na arquitetura, um sistema pioneiro e sustentável!!

Tijolos de vidro

O vidro é um material 100% reciclável, e por isso todos os componentes de vidro que foram usados para testes voltaram a ser derretidos e moldados e estão compondo a fachada. E a mesma lógica pode ser aplicada na fachada inteira, quando o edifício chegar ao fim da sua vida útil, todos os elementos de vidro podem ser reciclados e reutilizados em outra obra.

Tijolos de vidro

A fachada de vidro além de impressionantemente elegante e única precisa ser forte e segura. Por ser a primeira obra deste tipo, uma extensiva pesquisa foi feita nos laboratórios da Delf University e supervisionada pelo professor Rob Nijsse, além disso vários teste foram feitos exaustivamente para garantir o desempenho físico e estrutural do projeto.

Tijolos de vidroTijolos de vidro

Os tijolos foram moldados e lapidados um a um pela indústria de vidros Poesia, eles foram testados exaustivamente até resultarem nas peças finais aplicadas na construção.

Tijolos de vidro

Outro ponto importante estudado foi a estabilidade da solução em relação à colagem das peças – vidro é colado com um produto especificamente desenvolvido para o projeto e isso foi testado como um todo.

Tijolos de vidro

Depois de muitos testes, uma cola transparente de alta fixação foi desenvolvida pela indústria alemã Delo Industrial Adhesives, muito similar a cola UV que utilizamos em colagens aqui no Brasil, onde a cura é feita com uma lâmpada UV, porém as características são diferentes e específicas para a a estrura. Tijolos de vidro

Entre 6 e 10 especialistas trabalharam durante um ano na concepção e desenvolvimento dos elementos de vidro da fachada, o processo envolveu lasers de alta tecnologia, grandes lâmpadas UV e leite – a baixa transparência do líquido foi de grande ajuda no nivelamento dos primeiros tijolos da base. Devido à delicadeza do material foi necessário um elevado nível de precisão e habilidade e a equipe de desenvolvimento técnico esteve no local durante todo o processo de construção.

Tijolos de vidro

A fachada foi tão bem pensada, que inclusive em caso de necessidade há um protocolo existente para a troca individual de tijolos que por acaso tenham sido danificados.

Resistência

Apesar da aparência frágil, os ensaios e testes de esforço foram realizados pelos pesquisadores da Delf University, mostraram que os tijolos de vidro têm em diversos aspectos mais resistência do que o concreto! Um exemplo é a viga de sustentação toda em vidro, que suporta uma força de até 42.000 Newtons, o que equivale a algo em torno de 4.300kg.

Tijolos de vidro

Além disso a parede de tijolos de vidro se mostrou 10 vezes mais resistente que uma parede de tijolos cerâmicos, segundo os estudos essa fachada pode suportar “sem grandes danos um ataque com golpes de marreta ou mesmo uma manada de elefantes”.

Resumindo!

O vídeo à seguir mostra o processo construtivo da Crystal House, ele só tem 3 minutos de duração (feito em time-lapse) e mostra desde a moldagem e lapidação das peças de vidro até a finalização da fachada! Vale a pena ver!

Vídeo por Robert Jan Westdijk 

O Studio MVRDV realizou esse projeto com a colaboração de pesquisadores da Delf University of Technology, a empresa de engenharia com especialidade em vidros ABT e a construtora Wessels Zeist, os três Holandeses. Já a fabricação dos tijolos foi feita por uma indústria de vidros italiana chamada Poesia.

Tijolos de vidro

Esse projeto trouxe um avanço espetacular para construções em vidro e isso me deixa muito animada! Estou curiosíssima para saber sobre dados de transmissão de luz e temperatura. Afinal essa solução já superou tantas expectativas…

Vidro autoportante… o que é?

Vidro autoportante é aquele que dispensa o uso de caixilhos, ou seja, ele tem a estabilidade assegurada com o apoio em uma única extremidade. Deu para entender? Um exemplo são as portas de vidro temperado abaixo:

vidro autoportante

Ela é fixada apenas pelo lado de cima, ela se “pendura” nesse apoio superior sem a necessidade de ter todos os lados apoiados por uma estrutura. Acho que agora ficou mais claro, certo?

Vidro autoportante:

Mas o vidro autoportante que vim falar hoje não é esse, é o que não precisa de estrutura nenhuma para ficar em pé!

Vidro autoportante
Casa Bacopari – Grupo Una

Esse vidro da imagem acima, também conhecido como C-Glass ou U-Glass, é um vidro opaco com função de iluminar e fechar o vão e seu formato permite que ele se una a outros vidros iguais para formar uma parede!

As peças de vidro podem ter até 7m de altura e tem diversas larguras (2,32cm, 2,62cm, 3,31cm e 49,8cm), a espessura do vidro depende de suas dimensões, mas ou é de 6mm ou de 7mm. A proteção solar (diminuição  do calor que entra no ambiente) é de: 0,84, ou seja barra 16% do calor. – Dados do Profilit da Pilkington – em inglês.

Vidro autoportante
Vidro autoportante Pilkington Profilit

O vidro com formato de “U”, permite um apoio em si mesmo (autoportante) e várias formas de ser utilizado em conjunto.

Nas imagens abaixo na esquerda temos eles alinhados lado a lado e na direita eles estão com as faces intercaladas, dando movimento à fachada.

Vidro autoportanteVidro autoportante

É possível utilizar como se fosse um vidro duplo, conforme a imagem abaixo que é a mesma que eu mostrei aqui quando falei da sede da Glas Italia.

No caso da utilização do vidro como vidro duplo, o fator solar (quantidade de calor que passa para o ambiente) é de 0,70, ou seja barra 30% do calor de fora.

Vidro autoportanteVidro autoportante

Esquema em planta baixa das formas de utilizar os vidros:

Montagem vidro autoportante
Imagem do manual C-Glass da T2G

Abaixo outra maneira de utilizar as peças de vidro autoportante: lado a lado e com espaçamento entre elas.

Vidro autoportante
Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR) – vidro autoportante na fachada

Abaixo vemos no projeto de Arthur Casas como a solução pode ser usada para integração de espaços aproveitando a iluminação natural em todos os espaços que recebem os vidros.

A luminosidade que entra no ambiente varia entre 83% para o sistema simples e 69% para o sistema duplo.

Vidro autoportanteVidro autoportante

Esse vidro é muito versátil, o sistema pode ser instalado em linha reta ou mesmo em formatos curvos o que permite muito mais liberdade para criar.

Vidro autoportanteVidro autoportante

Eu adoro iluminação em vidros principalmente para projetos comerciais, e o vidro autoportante permite que luzes de LED se espalhem pela textura do vidro iluminando toda a solução.

Vidro autoportanteVidro autoportante iluminadoVidro autoportante

Mais algumas particularidades do sistema:

  • Ele pode ser usado como fechamento de toda a lateral de construções, e não é preciso abrir mão de janelas já que o sistema suporta aberturas.

Vidro autoportanteVidro autoportante Azure

  • Pode ser usado em fechamentos de edifícios também, já que os vidros se sustentam com o apoio da estrutura.

Vidro autoportante

  • Ele também pode ser utilizado horizontalmente, aqui a fixação dos vidros é feita nas laterais.

Vidro autoportante

 

Gostou de saber mais sobre vidro autoportante? Se quiser saber sobre algo específico que não falei aqui, deixe um comentário que responderei!