Vidro e sustentabilidade!

Você sabia que vidro e sustentabilidade tem tudo a ver? Apesar de não ser biodegradável, o vidro é 100% reciclável, isso quer dizer que o vidro pode ser reciclado infinitamente sem perder qualidade ou pureza no processo. Ou seja, 1kg de vidro se torna 1kg de vidro igual ao anterior sem poluição par ao meio ambiente. Isso não é lindo?

vidro e sustentabilidade

Aliás, como já falei nesse post, toda a fabricação de novos vidros leva cacos de vidro porque isso ajuda a reduzir a temperatura necessária para fundir a massa, economizando a quantidade de energia e água gastas no processo e diminui a retirada de matéria prima da natureza.

A energia utilizada para a fusão do vidro no processo produtivo é proveniente do gás natural, por ser uma matriz energética menos poluente.

O Brasil produz em média 900 mil toneladas de embalagens de vidro por ano, deste total ¼ da matéria prima é proveniente de matéria reciclada em forma de caco. A cada 10% de caco de vidro utilizado na mistura, economiza-se 4% da energia necessária para a fusão nos fornos industriais e reduz 9,5% do consumo de água.

Vidros planos são ainda mais sustentáveis

Vidros planos utilizados na construção civil são ainda mais sustentáveis e vou te dizer porque! Quantas vezes você já trocou os vidros da sua casa? E no seu trabalho, quantas vezes o vidro foi substituído por outro?

vidro e sustentabilidae

Só trocamos um vidro em caso de quebra ou em caso de reforma, mas sabemos que isso são coisas que acontecem com baixíssima freqüência (na normalidade). A durabilidade do vidro também faz dele um produto sustentável!

Não há informações sobre a vida útil dos vidros nas construções, mas como o vidro não se deteriora, enquanto estiver inteiro ele permanece na construção, aqui no meu prédio o vidro é mais velho que eu e deve ter pelo menos uns 40 anos. Pasmem!

Economia de energia

O vidro quando bem aplicado na arquitetura, ilumina naturalmente o ambiente e diminui o gasto com iluminação artificial, economizando recursos naturais! E quando eu digo bem aplicado, quero dizer que construções que não tem acompanhamento de um arquiteto podem ter janelas menores do que o necessário para iluminar e ventilar o ambiente!

vidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidade

Se o vidro for de proteção solar (falei sobre proteção solar aqui) melhor ainda, os vidros de proteção solar reduzem significativamente o calor do sol que entra nas construções e isso reduz também o uso do ar-condicionado, reduzindo o gasto de energia.

Isso é muito visível em grandes edifícios comercias que usam ar-condicionado o dia todo mas também é bastante significativo para residências com muito uso de ar-condicionado, utilizar vidro de proteção solar com um bom desempenho reduz o gasto com ar-condicionado em 30% ao ano. – O que isso quer dizer é que o vidro de proteção solar se paga com a economia que faz! Então pense bem na hora de escolher seu vidro, saiba os benefícios que ele vai te trazer e não pense só no custo, afinal o gasto com vidros é somente 3% da construção. 

vidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidade

A Vivix

A Vivix é uma fabricante de vidros brasileira e merece ser destaca aqui pela preocupação que tem em relação à preocupação com a gestão ambiental. A fábrica utiliza em seu processo produtivo a tecnologia L.E.M.™ (Low Energy Melter™), inédita no Brasil, que permite uma maior eficiência energética e a redução da emissão de gases de efeito estufa, em comparação com a média mundial das indústrias de vidros planos.

vidros e sustentabilidade

Tirando o forno de fusão, as demais etapas do processo produtivo e iluminação geral da fábrica consomem energia elétrica proveniente de fontes renováveis, como as oriundas de PCH´s e usinas de açúcar e álcool.

Os espelhos não eram reciclados pelas fábricas por causa da prata que não desprende do vidro, porém em uma palestra ontem a representante da Vivix disse que a mesma adotou um sistema de reciclagem de espelhos na fábrica em Pernambuco onde é possível fazer a reciclagem dos espelhos retirando quimicamente a prata do vidro. Ponto pra sustentabilidade!

Projetos

Podem ficar tranquilos ao colocar vidros em seus projetos, ele é um material sustentável e cheio de benefícios para o resultado final do ambiente!

Continuem criando e inovando com o vidro e agora com a consciência leve, sabendo que é um material eco-friendly. Está procurando idéias? Clique nas imagens abaixo e elas te levarão a postagens anteriores super interessantes!

vidros sustentáveisvidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidadevidros e sustentabilidade

Espero que tenham gostado de saber dessa peculiaridade do vidro! Até a próxima!

Fabricação do vidro plano

Boa tarde!!

Muita gente sabe que o vidro é feito de areia, mas que tal entender mais sobre esse processo?

O processo que é utilizado atualmente no mundo inteiro, conhecido como processo de vidro float –vem de flutuação e mais abaixo explico o porque– foi desenvolvido pela Pilkington (uma das fundadores da Cebrace) em 1952, e é a maneira de fabricar o vidro mais plano possível. Eu costumo comparar a fabricação do vidro com fazer um bolo.

Oi? Bolo? Vidro? Pois é, o processo de fabricação do vidro tem similaridades com fazer um bolo. Vou explicar: Os elementos que compõem o vidro são:

– Sílica (areia) – 72%

– Sódio (Barrilha) – 14%

– Cálcio (calcário) – 9%

– Magnésio – 4%

– Alumina – 0,7%

– Potássio – 0,3%

(Como a massa de um bolo onde ingredientes são colocados com proporções certas)

E para fazer o vidro, todos esses componentes são misturados (em uma batedeira gigante chamada de misturador) com cacos de vidro. Sim, cacos de vidro! Porque? Porque os cacos de vidro diminuem a temperatura necessária para fundir a massa do vidro dentro do forno, economizando gás e energia elétrica. Além disso, durante o processo de corte há quebra de  vidros que apresentem defeitos como bolhas e alteração na cor. (Quase como a massa de bolo rss)

Depois da mistura pronta, ela é despejada dentro de um forno gigante – chamado de forno de fusão – que aquece a massa à 1600°C e torna a massa incandescente como a lava de vulcão. (Como o bolo que fazemos a massa e a colocamos no forno)

fabricação do vidro(Entrada da mistura no forno de fusão – detalhe do vidro incandescente)

Saindo do forno de fusão com aproximadamente 1000°C, a massa do vidro cai no banho float que nada mais é do que uma piscina de estanho – com 15cm de profundidade. O estanho é mais denso do que o vidro, o que faz com que a massa flutue (float em inglês) assim como o óleo flutua na água, e por isso o vidro fica completamente plano.

Dentro da câmara de banho float há roletes que fazem com que o vidro ande mais rápido ou mais devagar e essa velocidade define a espessura que esse vidro terá.

fabricação do vidro

(Rolete que puxa a massa do vidro no banho float)

Depois dessa etapa o vidro vai para a câmara de recozimento, onde o vidro é resfriado lentamente até 250°C com a ajuda de sopradores para acelerar o processo. E a partir daí ele corre em esteiras ao ar livre para que esfrie lentamente evitando a quebra indesejada no momento do corte em chapas.

fabricação do vidro

(Esquema da linha completa, porém ela é beeeem mais comprida do que o esquema deixa imaginar)

Logo após o vidro resfriado, ele passa por uma inspeção de qualidade onde scaner detecta falhas na massa (como impurezas e bolhas de ar) e também analisa a cor do vidro em relação ao padrão da empresa. O vidro que não tem defeito é cortado em chapas de dimensão padrão (2,20×3,21m, 2,40×3,21m ou a chapa jumbo de 6,00×3,21m). O vidro que apresenta defeitos ou esteja fora do padrão é quebrado e retorna ao início do processo.

O vidro após o corte é empilhado verticalmente em cavaletes (chamados pelo setor vidreiro de colares), que facilitam o transporte para o estoque e para a expedição que envia os vidros para beneficiadores e distribuidores de todo o país.

fabricação do vidro

(Fotos da indústria da Vidratto em Brasília {beneficiadora e distribuidora de vidros} – vidros nos cavaletes para facilitar a movimentação)

O processo de fabricação do vidro não pode parar, ele acontece 24h por dia e sete dias por semana, por anos e anos. Se o processo for interrompido a massa solidifica dentro do forno e daí só demolindo e construindo outro (que custa milhões de reais). Os fornos são reformados a cada 20 anos, que é a vida útil que eles tem – melhor do que os que temos em casa não?! rsss.

Para vidros coloridos, outros ingredientes são inseridos na massa que alteram a coloração mas não a transparência deles.

Espero ter esclarecido um pouco mais sobre os vidros!